Pulse

Um Pouco a Declarar sobre Tudo

Prestes a lançar novo álbum com inspiração filosófica, trio Nada Surf se prepara para turnê no Brasil em 2012

Pablo Miyazawa Publicado em 09/12/2011, às 12h36 - Atualizado em 26/04/2012, às 19h38

MENTE ZEN  Caws (à direita) e o Nada Surf: inspiração na filosofia
Divulgação

“Em algumas horas teremos o produto finalizado.” Naquela tarde de agosto, Matthew Caws comemorava o fim da mixagem do mais novo álbum do Nada Surf. “Vai se chamar The Stars Are Indifferent to Astronomy” , o vocalista/guitarrista conta, animado, revelando o título pela primeira vez. “Meu pai é filósofo, e essa frase é algo que ele me disse uma vez. Não me considero um filósofo, mas tenho tentado compreender mais como o ser humano funciona.” O álbum, o sétimo do trio, deve ser “mais rápido, mais curto e mais alto” do que os trabalhos anteriores e versará sobre “outras emoções além do amor”, nas palavras de Caws, 44 anos. “Todas as músicas apontam que eu gostaria de ter um melhor controle sobre mim mesmo – mais disciplina mental”, diz. Como fonte de inspiração, cita as Meditações, de Marco Aurélio, que releu constantemente durante o processo de composição. “Foi escrito há dois mil anos e é um melhor livro de autoajuda do que tudo do gênero que existe nas livrarias.”

Outra novidade do disco – e da turnê que começará em 2012 – é a guitarra solo de Doug Gillard, ex-integrante do Guided by Voices. “Ele havia tocado em nosso disco de covers (If I Had a Hi-Fi, de 2008) e foi ótimo. Desta vez eu não quis que ele ficasse de fora”, comemora Caws.

Surgido em meados dos anos 90, o Nada Surf – complementado pelo baixista Daniel Lorca e pelo baterista Ira Elliot – experimentou o gosto fugaz do sucesso com um hit certeiro na MTV, “Popular”, em 1996. Antes do estouro, Caws trabalhou como jornalista musical – foi o editor da revista norte-americana Guitar World –, e até hoje se diz pouco à vontade estando “do outro lado”. “A verdade é que não fui um bom jornalista”, ele confessa. “Se uma entrevista não ia bem, eu nunca achava que a culpa era do artista, e sim, minha, que não havia me preparado bem. Quando entrevistei o Beastie Boys, estava tão cansado e não tinha nenhuma pergunta para fazer... Só me lembro de pensar: ‘Eles estão odiando! Estraguei tudo!’”

Mesmo antes do lançamento de The Stars Are Indifferent to Astronomy, fãs brasileiros já se movimentam para trazer o Nada Surf ao país por meio do esquema de crowd funding, organizado pelo site MusicMob. “Tive momentos ótimos na turnê de 2004 e me lembro de dizer aos fãs que voltaríamos logo”, diz Caws. “Não voltamos, e ainda me sinto mal com isso. Quero cumprir a promessa.”