“Considerando que esse é o primeiro Lollapalooza, tudo pode acontecer”, diz Tinie Tempah

Rapper faz sua estreia no Brasil em um dos palcos do festival que acontecerá no próximo mês; leia entrevista

Stella Rodrigues Publicado em 10/03/2012, às 13h12

Tinie Tempah
Divulgação/Phil Knott

Destaque do Brit Awards, prestes a lançar o segundo disco e atração de peso em festivais de nome e tradição – inclusive na primeira edição brasileira do Lollapalooza – Tinie Tempah é o nome do momento no rap britânico.

Tempah transcendeu a fronteira da Inglaterra e chegou aos ouvidos do resto do mundo ao ser destaque do Brit Awards no início do ano passado, recebendo os título de melhor revelação britânica e melhor single (“Pass Out”). Em 2012, aos 23 anos, retornou à cerimônia que o consagrou “apenas para se divertir”, conforme definiu. “Fiquei pensando ‘olha o que pode acontecer no período de um ano!’ Para mim, foi muito impressionante fazer essa reflexão”, conta o artista, em entrevista à Rolling Stone Brasil. “Ano passado, eu estava muito nervoso e estressado com tudo, e acabei ganhando coisas importantes no prêmio. Este ano consegui relaxar sem a pressão nos meus ombros. Fiquei curtindo os amigos, e ver tudo aquilo me fez querer trabalhar ainda mais, me inspirou.”

Foi lá que ele anunciou como se chamará de seu segundo disco, Demonstration, que tem a difícil missão de segurar o legado do bem-sucedido Disc-Overy (2010). Por enquanto, é só isso mesmo que ele conta a respeito do trabalho: o título. De resto, responde genericamente e esconde os nomes das tão prometidas participações especiais, que estão criando um hype à parte. “Muitas especulações estão surgindo, citam todo mundo sobre quem já falei como participação! Não conto, mas garanto que são colaboradores incríveis. Está ficando muito bom mesmo, estou adorando a sonoridade. Fiquem de olhos abertos porque será algo especial, certamente.”

Uma faixa de Disc-Overy que certamente ajudou o rapper a conquistar espaço nas rádios foi “Written in the Stars”, na qual Tempah diz ter expressado o mesmo tipo de sentimento “acredite nos seus sonhos” que descreveu ao falar sobre o retorno ao Brit Awards. “A letra sou eu analisando minha vida, de onde comecei e onde cheguei, algo como ‘se trabalhar duro, coisas incríveis acontecem com você’”, ele explica. Porém, a interpretação de algo intitulado “escrito nas estrelas” pode ser facilmente adaptada a disputas esportivas de relevância, como o Super Bowl e o Wrestlemania, que foram apenas alguns dos eventos que entraram para a (nova) tradição de usar a canção como hino. Se o sonho de qualquer artista consagrado é tocar no intervalo do Super Bowl, o que mais poderia querer um iniciante além de ver o time que se sairia campeão do Super Bowl – o New York Giants – entrar em cena na noite do jogo final ao som de uma música sua? “Fico emocionado porque ‘Written in the Stars’ tem sido muito poderosa nesse sentido. Fico nervoso quando um time usa para entrar em campo/quadra, fico pensando ‘é bom EU não perder essa partida!’, porque tem sido uma canção para vencedores!”

Apesar de ter desenvolvido esse carinho por alguns esportes, ele não acompanha muita coisa e diz não ter nem ideia de onde surgiu o boato de que ele colaboraria na criação da música tema da próxima Copa do Mundo. “Não conversamos nada sobre isso e, para ser honesto, nem estaria interessado. Estou concentrado em terminar o disco e fazer coisas sobre as quais eu tenho controle total”, admite.

Tinie Tempah também desmente que Adele será sua próxima parceira na música, embora seja unha e carne com ela, ultimamente. “Eu e Adele ficamos muito próximos, nos encontramos bastante e começamos a falar sobre isso. Eu estou muito a fim, mas como você deve imaginar, ela está vivendo em uma montanha russa agora. Se a oportunidade aparecer de novo, vou nessa.”

Lollapalooza

Tinie Tempah não é um novato em Lollapaloozas, já tendo se apresentado na edição-mãe, em Chicago. “Foi um festival incrível, adoramos o público e o festival tem uma ótima reputação. Fiquei feliz quando soube que o show aí seria no Lollapalooza.”

O rapper ficou gratamente surpreso ao saber que esta seria a primeira vez que o festival chamaria o Brasil de lar. “Neste caso, temos todos os motivos para celebrar”, afirmou. Ele também não estava exatamente inteirado sobre o line-up, mas lembrou que um amigo querido, o DJ Calvin Harris, se apresenta. “Ele vai tocar no mesmo palco que eu. Isso quer dizer que meu palco é o mais legal, é o lugar onde se estar”, brinca. Mas ao pensar sobre a possibilidade de dar as caras no set dele ou convidá-lo para seu show, gargalha. Só para em seguida interromper o riso, pensar um pouquinho e acrescentar: “sabe, considerando que esse é o primeiro Lollapalooza, tudo pode acontecer!”