A Força de uma Lenda

Aniversário do Legião Urbana não terá eventos formais, mas será lembrado de muitas formas

Guilherme Bryan Publicado em 11/05/2012, às 17h26 - Atualizado em 29/05/2012, às 11h55

<b>FOMOS JOVENS</b> Villa-Lobos, Renato Russo e Bonfá, na época do Legião
DIVULGAÇÃO (JOHN MAYER

Trinta anos depois da criação do Legião Urbana, o filho do vocalista Renato Russo, Giuliano Manfredini, 22 anos, está à frente de uma série de eventos comemorativos, incluindo shows e DVDs do primeiro guitarrista da banda, Kadu Lambach; já os integrantes Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá realizarão uma apresentação com o ator Wagner Moura no vocal. Além disso, dois filmes relacionados ao universo do grupo chegam aos cinemas. Na programação, Manfredini destaca a revitalização de pontos que resgatam a memória do pai em Brasília, como o Parque da Cidade e o Teatro Rolla Pedras. “Outra homenagem importante é o Renato Russo Sinfônico”, acrescenta o herdeiro, referindo-se ao projeto que executa músicas do Legião em versão orquestral.

Mesmo garantindo que não há nada de muito extenso planejado por ele e Marcelo Bonfá para celebrar os 30 anos da banda, Dado Villa-Lobos não esconde a vontade de se unir ao antigo companheiro. “Temos com Bonfá uma ideia de visitar algumas poucas cidades, tocando com as orquestras sinfónicas locais e diferentes cantores”, diz. “Mas não existe nada definido.” De certo há o peculiar show com Wagner Moura, em São Paulo, no fim deste mês, que sairá em DVD e será exibido pela MTV.

Para o guitarrista, agora é a vez de Giuliano Manfredini tomar a frente dos eventos relacionados à banda. Porém, diz ter pouco contato com o filho de Renato Russo. “Ele tem a idade do meu filho Nicolau e do João Pedro, filho do Bonfá. A gente o conhece desde criança. Todo mundo sabe que depois da morte do Renato as coisas mudaram”, explica. “Tínhamos uma relação intensa, fechada, íntima e criativa dentro da banda e então, de repente, de um dia para outro, você passa a tratar até de questões artísticas com o pai, a mãe, o tio, a irmã, os representantes, os advogados... Não vem sendo fácil.” Bonfá acrescenta: “Até temos algumas discordâncias com o Giuliano em relação a como lidar com as obras criadas por nós da banda”.

Um dos eventos apoiados por Manfredini é uma série de shows do primeiro guitarrista do Legião, Kadu Lambach, o Paraná. “Há dois anos, senti que já tinha propriedade e consistência para dar uma interpretação guitarrística para a obra do Legião”, conta Lambach. O resultado foi o projeto O Legionário do Som que, a princípio, se tornaria um CD instrumental, mas acabou virando uma série de shows. O evento foi registrado em DVD e outras datas estão sendo agendadas.

Também serão lançados dois filmes relacionados ao universo do grupo: Faroeste Caboclo, dirigido por René Sampaio e previsto para este mês, transforma em imagens a célebre letra escrita por Renato Russo; e Somos Tão Jovens, de Antonio Carlos da Fontoura, previsto para outubro, uma cinebiografia de Renato Russo. “São duas grandes produções”, diz Manfredini. “Surpreendeu-me muito a atuação de Thiago Mendonça no papel de meu pai em Somos Tão Jovens, pela semelhança física e pela energia que ele passou.”