Pulse

6 PERGUNTAS - Rei dos Rumores

Marilyn Manson fala sobre parceria com Johnny Depp e de boatos bizarros

Austin Scaggs Publicado em 19/06/2012, às 17h13 - Atualizado em 18/07/2012, às 17h30

BOM GOSTO Manson fica feliz quando dizem que ele está saindo com Lana Del Rey
AGATA ALEXANDER

Há dois anos, Marilyn Manson se separou da atriz Rachel Wood, encaixotou todas as suas coisas e mudou-se para uma nova casa. “Acabei morando sozinho pela primeira vez desde... desde sempre”, conta Manson, 43 anos. “Percebi que menos é mais. Quanto menos você trabalhar em algo, mais poderosa tem de ser a ideia que você quer transmitir.” Essa filosofia permeou o oitavo álbum de Manson, Born Villain. “Permiti deixar que meu subconsciente e inconsciente tomassem as rédeas”, diz. “É hora de voltar, fazendo o que faço melhor, que é ser Marilyn Manson.”

Johnny Depp toca na sua cover de “You’re So Vain”. Como isso aconteceu?

Johnny me ligou e perguntou se eu queria gravar uma música, aí fui até o estúdio dele e começamos a tocar blues. Meu disco já estava pronto, mas nós dois achamos que seria irônico incluir “You’re So Vain”. Johnny tocou bateria e guitarra solo – quando ele terminar o filme novo dele, terei de brigar para mantê-lo fora da minha banda.

Estavam tocando blues?

É! Estávamos só improvisando, fazendo uma jam, que é um termo que eu sempre odiei. Acho que começamos com “The Thrill Is Gone” – ideia dele. E foi legal. Passei o ano passado aprendendo guitarra.

Você está com 43 anos. Tem planos de ser pai?

Não consigo nem imaginar como é ter um filho. Seria interessante ter uma pequena versão minha causando problemas – uma versão 2.0.

Tenho certeza de que qualquer filho seu seria um anjo perfeito.

Eu tentaria confundi-lo o suficiente para ser tão mau ou ainda pior que eu. Seria a minha obrigação.

Born Villain parece diferente dos seus álbuns anteriores. Por quê?

Nos últimos dois discos, eu estava tentando forçar as pessoas a sentir minhas emoções. E foi uma merda, uma ideia estúpida. Este é mais como jazz, punk rock ou dadaísmo. Eu queria pegar o que sei fazer e fazê-lo de um modo que deixasse as pessoas confusas. Não dá para chocar, só dá para criar o caos – e a confusão é o melhor meio de comunicação. Isso é o principal.

Li que você vai se casar com alguém chamada Seraphim.

Nem sei quem é essa pessoa!

Também li que você estaria saindo com a Lana Del Rey.

Nesse boato parece que tenho bom gosto. E tenho.

Os boatos são divertidos?

Sim. É como nos velhos tempos, quando diziam que eu tinha removido as costelas e que eu era o garoto de Anos Incríveis. Ossos do ofício.

Mas eu vi você colado na Taylor Momsen no palco. Esse é verdade, certo?

Pois é, as jovens de novo. Quando estávamos planejando a turnê, a banda dela, Pretty Reckless, era uma das opções para a abertura. E pensei: “Quer coisa melhor que alguém que acabou de fazer 18 anos?”.