VIDAPOP - Outono/Inverno

Miguel Sokol Publicado em 06/07/2012, às 12h27 - Atualizado às 12h27

HYPADO O ator Peter Dinklage
MARK SELIGER

Mulheres que não existem, caminhando de um jeito que não existe e vestindo roupas que não existem (nem nunca vão existir). E aí surge o criador das roupas, do caminhar e das mulheres – por que não? – com uma explicação incompreensível sobre a criação e sobre como nós viveremos a volta de algo que nunca se foi, como a camiseta branca. Eu não entendo os desfiles de moda, mas se organizassem uma coleção de tendências pop para o glorioso inverno deste duomilésimo décimo segundo ano fashion de nosso senhor, saberia exatamente o que colocar na passarela, começando pelo acessório do momento: o arco e flecha. Ele está presente em pelo menos três filmes: Jogos Vorazes, Os Vingadores e Precisamos Falar sobre Kevin. E quando um jovem psicopata escolhe, em plena era dos aplicativos, exterminar metade dos coleguinhas assim, podemos dizer que a arma mais quente de Hollywood neste inverno nem sequer é de fogo. O arco e flecha está de volta com tudo.

Mas, voltando à passarela, quem empunharia tal acessório com a graça e a elegância necessárias? Fácil: um anão. A cavalo. Qual fashionista cheio das nove horas apostaria suas fichas (amarelas com bolinhas cor-de-rosa) nessa supertendência um inverno atrás? Finalmente aquele antigo e inatingível padrão de beleza foi para a vala! Nada de mulheres languidamente cadavéricas com seus ângulos agudos ou de homens musculosos com seu queixo quadrado e uma covinha. Taí o ator Peter Dinklage, o Tyrion Lannister de Game of Thrones, quebrando tabus. Em Game of Thrones, ele é o cara: lhe deram mulheres, poder e até falas! Muitas. Aí vieram os prêmios, um Globo de Ouro e um Emmy, até agora.

Outra tendência para este inverno são os músicos da terceira idade desfilando roupas emprestadas de seus fãs famosos, afinal o disco novo do Dr. John tem, assim, uma roupagem Black Keys, porque foi composto e produzido pelo Dan Auerbach. Já o novo do soulman Bobby Womack tem roupagem do Gorillaz porque foi composto e produzido pelo Damon Albarn. Resgatar ídolos está na moda. Mas o grand finale desta memorável noite fashion não pode deixar de ser o holograma. Do Tupac? Do Gilberto Gil? Do Renato Russo? Você escolhe. Ou do George e do John acompanhados por Ringo e Paul em carne e osso? As Olimpíadas de Londres estão chegando, depois não diga que eu não avisei.