Em Estúdio

José Julio do Espirito Santo Publicado em 21/09/2012, às 12h51 - Atualizado às 17h15

VERSÕES E NOVIDADES Nasi grava o vocal do novo disco em São Paulo, no estúdio da Trama
JORGE LEPESTEUR

ÁlbumPerigoso

Previsto para outubro ou novembro

Da enorme mesa de som do estúdio da Trama, em São Paulo, Nasi observa, compenetrado, a gravação do trio de saxofones da faixa “Não Há Dinheiro Que Pague”. Está nas mãos dele a produção do sucessor de Vivo na Cena (2010), gravado ao vivo em estúdio, e indicado ao Grammy Latino na categoria de melhor álbum de rock brasileiro. O novo trabalho traz outra noção antiga. “Procurei voltar um pouquinho ao LP”, o cantor comenta sobre o costumeiro número de faixas do antigo formato e a preferência pela quantidade em detrimento da qualidade no mercado atual. “Isso aconteceu na passagem do vinil para o CD. Antigamente, nove ou dez músicas, de três a quatro minutos, era o resultado de um trabalho de triagem muito bom”, defende. Perigoso terá dez canções, entre inéditas e versões que vão desde “As Minas do Rei Salomão”, de Raul Seixas, até “Tudo Bem”, do Garotas Suecas. “Estou navegando entre o blues, o rock and roll e o folk. Não tem nada afro-brasileiro”, afirma o músico quando cita as novas “Amuleto” e “Ori”, sobre um conceito iorubá a respeito do abrigo corporal do espírito. A faixa que dá nome ao disco é tanto um manifesto como uma homenagem. “Finalmente fiz jus à minha idolatria a Johnny Cash. É sobre vencer as adversidades e os inimigos e bater a mão no peito”, Nasi diz, com um sorriso misto de menino traquinas e velho safado: “Perigoso traz essa aura em torno de mim.”

Vídeo: Nasi fala sobre a reconciliação com o irmão, ex-empresário do Ira!

Carly Rae Jepsen

Álbum Kiss

Lançamento 18 de Setembro

Terceira colocada no canadian Idol em 2007, Carly já havia terminado as gravações do segundo disco quando o single “Call Me Maybe” surpreendentemente virou hit do último verão. Ela decidiu, então, recomeçar o trabalho do zero, trazendo cocompositores de calibre, como Redfoo (do LMFAO). “No momento”, diz ela, “estou só imaginando a história que quero contar com a minha música.”

Soundgarden

Álbum King Animal

Lançamento 13 de novembro

“Este disco restabelece que estamos na ativa, ainda somos pesados, e ainda somos meio esquisitos”, diz o guitarrista Kim Thayil sobre o primeiro álbum inédito dos deuses do grunge desde os anos 90 (quando o grunge ainda estava vivo). Faixas de destaque como “Blood on the Valley Floor” mostram a junção clássica dos riffs assimétricos de Thayil e o uivo anti-heróico de Chris Cornell, enquanto “A Thousand Days Before” puxa para o lado experimental. “Essa tem uma coisa indiana e um pouco de chicken-pickin’”, conta Thayil, referindo-se a uma técnica de dedilhado. “Chamamos de ‘country & eastern’.” Por outro lado, a finalização do disco do Soundgarden paralisou a gravação do novo álbum do Pearl Jam, já que o baterista Matt Cameron toca em ambos.