Um Novo Olhar

Suburbia flerta com a realidade em retrato da sociedade carioca nos anos 90

Pedro Antunes Publicado em 12/11/2012, às 15h49 - Atualizado às 16h27

CAOS E CORES
A minissérie também debate questões raciais
TV GLOBO/DIVULGAÇÃO

Através da lente ousada de Luiz Fernando Carvalho (Hoje É Dia de Maria), a periferia carioca dos anos 90 ganha nova luz com Suburbia, minissérie de oito capítulos da Globo, iniciada em 1º de novembro. A atração promove o encontro entre a ousada inovação do diretor com o retrato da sociedade suburbana de Paulo Lins (autor do livro Cidade de Deus), em um texto de realidade extrema, colorida e caótica. A história-base de Conceição (vivida por Erika Januza) vem de Bethânia, uma moça que trabalhou na casa de Carvalho por 25 anos, cujos causos eram anotados pelo diretor. “Quando me pediram o seriado, dei de cara com esses escritos”, explica. Com Lins, ele criou novos personagens: a musa do bairro, a mãezona, o traficante. “Discutimos a sociabilidade, a questão do negro, o Brasil escravocrata”, explica Lins, o parceiro escritor.