Melhores de 2012: artistas falam sobre suas músicas

Redação Publicado em 21/01/2013, às 18h29 - Atualizado em 22/01/2013, às 13h01

Tulipa Ruiz, Jair Naves, SILVA, Caetano Veloso e outros: os artistas do top 10 de melhores músicas de 2012 falam sobre suas obras.

1º - Racionais MC's - “Mil Faces de Um Homem Leal (Marighella)”

Sobre a música que homenageia o guerrilheiro Carlos Marighella e eleita a melhor de 2012 pela Rolling Stone Brasil, o DJ KL Jay afirmou que representa “a luta por amor”. Opinião semelhante tem Ice Blue, que observa: “Nossos motivos para lutar ainda são os mesmos”.


2º - Gaby Amarantos - "Ex Mai Love"

"Era uma música que nem ia entrar, o disco já estava definido com 11 faixas. Quando os meninos da banda me mostraram, eu achei legal, mas quando mostramos para o diretor, ele falou que não tinha nada a ver, pra gente limar, porque já estávamos com as músicas certas para entrar", relembra Gaby. "Insistimos, gravamos e ele achou até que fosse outra música quando ouviu de novo, achou incrível. Ela entrou e foi a principal música do Treme, sem sombra de dúvidas."


3º – Caetano Veloso - “A Bossa Nova é Foda”

"'A Bossa Nova É Foda' é a música de que mais gosto em Abraçaço. Foi a primeira que fiz, pensando que o disco iria por ali. Não foi. E agora Junior Cigano perdeu pra Cain. Achei que dei azar pro cara", diz Caetano, citando um dos lutadores brasileiros de MMA sobre os quais ele fala na letra.


4º - BNegão & Seletores de Frequência - "Essa É Pra Tocar no Baile"

"Era um riff antigo, de trompete, que eu tinha composto na época do nosso primeiro disco. Me lembrei dele quando estávamos fechando o repertório e cheguei no ensaio, um dos últimos, com a música praticamente pronta", recorda Bnegão. "Quando fomos gravar o instrumental botei a pilha no Pedro Selector, pra ele desenvolver um solo baseado nas fortes influências que ele tem de música do Leste Europeu. Fomos construindo trecho por trecho do solo, até chegarmos no formato ideal. No final, botei os samples das nossas próprias vozes, no estilo baile funk anos 80/90, e corremos pro abraçis..."


5º - Tulipa Ruiz - "Dois Cafés"

"Mandei um e-mail para o Lulu, que respondeu muito rápido”, contou Tulipa à Rolling Stone Brasil, na época do lançamento do disco. "Fiquei um tempão pensando no título do e-mail. Porque é muito complicado, né? Você desperta o interesse ou o desinteresse. Aí foi: 'Lulu no meu novo disco?'. E ele respondeu: 'Boa pergunta'." O questionamento teve um final feliz, e o veterano – que já era fã da cantora – ainda tocou guitarra slide na faixa, além de cantar.


6º - Roberto Carlos - “Esse Cara Sou Eu”

"Um dia eu recebi a visita no meu estúdio da minha querida Glória Perez. Mostrei para ela uma canção, ela gostou e disse para mim: 'Essa canção é perfeita para o casal principal da novela [Salve Jorge], que vai ser feito por Nanda Costa e Rodrigo Lombardi'", conta Roberto Carlos no Especial Fim de Ano da Globo de 2012. "Eu não tinha terminado ainda a última parte da música. Ela me contou a história e me ajudou ainda mais a concluir a música, faltava um verso. Essa música eu fiz para falar do cara que toda mulher gostaria de ter. Do cara que todo homem gostaria de ser. Do cara que eu tento ser."


7º - SILVA - “2012”

"Foi uma letra escrita pelo meu irmão, Lucas, meu parceiro em composições, e mostra essa mística do fim do mundo: para mim, pessoalmente, o ano foi muito carregado. Porque foi justamente quando tudo ia bem profissionalmente, meu avô estava com câncer. Então, era um fim do mundo pessoal pra gente. Estava feliz com o que acontecia, mas tinha essa melancolia."


8º - O Terno - “66”

"Essa música eu compus em 2009, aos 18 anos, e foi uma fase que a gente tinha parado um pouco com a banda e começamos a pensar em coisas autorais", conta o vocalista Tim Bernardes. "Sempre foi uma das canções que a gente mais gostava e percebemos que a metalinguagem dela fechava o CD, por isso batizamos o álbum de 66. É ótimo de ver o pessoal cantando, porque a letra é grande, não é uma letra fácil."


9º - Céu - “Retrovisor”

"As músicas [do disco Caravana Sereia Bloom] sempre partiam de imagens, e essa música é muito imagética, talvez a mais hipnótica do disco", conta Céu. "Tem uma coisa meio cabaré, meio karaokê de beira de estrada, com chão de terra batida, como tantos no Brasil, com um som simples, fuleiro, e uma desilusão amorosa."


10º - Jair Naves - “Pronto para Morrer (O Poder de Uma Mentira Dita Mil Vezes)”

"'Pronto para Morrer' foi a última música do disco a ficar pronta. Foi escrita na antevéspera do início das gravações e apresentada à banda no último ensaio antes de entrarmos em estúdio", explica Jair. "É um retorno às minhas origens musicais e possui uma estrutura de texto até então inédita nas minhas composições. Embora seja a faixa mais áspera e difícil do álbum, é uma das preferidas do nosso público."