Turbinado por Marcas

Antes de vir ao Brasil, Justin Timberlake volta às paradas com muitas parcerias musicais e empresariais

Steve Knopper | Tradução: J.M. Trevisan Publicado em 11/04/2013, às 11h50 - Atualizado em 14/04/2013, às 17h50

SEXYBACK Timberlake também quer manter a carreira de ator
Divulgação

Em junho passado, Justin Timberlake se esgueirou, pela primeira vez em anos, para dentro de um estúdio na Califórnia com o produtor Timbaland. “Adivinha onde eu estava ontem à noite?”, o astro pop perguntou ao empresário dele, Johnny Wright, durante um jantar na noite seguinte. Wright relembra: “Nem desconfiei que ele ia me dizer isso”.

Timberlake passou os meses seguintes trabalhando no recém-lançado The 20/20 Experience, o esperado sucessor de FutureSex/LoveSounds (2006). Quando lançou “Suit & Tie”, um single elegante e jazzístico em janeiro, ele, juntamente com a nova gravadora, RCA Records (Sony, no Brasil), já havia trabalhado em um ambicioso plano baseado em várias parcerias com empresas-chave. A estratégia começou colocando o cantor diante da plateia mais ampla possível na noite do Grammy – quando ele não só apresentou duas músicas novas como também apareceu em propagandas da rede de lojas Target e da cerveja Bud Light Premium. “Justin ficou sumido por um tempo”, diz o presidente da RCA Records, Tom Corson. “O plano para recolocá-lo no mercado precisava ser inteligente e intensivo.”

Como novo diretor criativo da Bud Light Platinum, Timberlake acompanhou de perto a propaganda que usava “Suit & Tie” como trilha – o anúncio conta com o mesmo diretor de fotografia, câmeras e estilo luxuoso do vídeo oficial. “Ele tinha muito a acrescentar sobre como seria filmado, o fato de que seria em preto e branco”, conta Paul Chibe, VP de marketing da Anheuser-Busch. “Justin teve um sucesso enorme criando sua própria marca – e podemos aprender com isso.”

“Suit & Tie” causou um grande impacto no lançamento, vendendo 314 mil cópias digitais na primeira semana. Mesmo assim, a música ainda não passou da quarta posição nas paradas Hot 100 – um sucesso, mas não arrasador. “A faixa ainda não chegou ao público pop”, diz John Ivey, diretor de programação da KISS-FM de Los Angeles. Já o álbum completo, lançado em 15 de março, alcançou o topo da parada norte-americana, com 968 mil cópias vendidas na primeira semana. E o ano de Timberlake está só começando. Em julho, ele iniciará uma série de shows em 12 cidades com Jay-Z, começando por Toronto. Em setembro, será a principal atração da terceira noite do Rock in Rio, em 15 de setembro.

Wright, que está com Timberlake desde os tempos do ‘N Sync, não está preocupado com o modo como o cantor balanceará a música com o interesse em atuar no cinema. “Essa é uma conversa que ainda vamos ter”, diz o empresário. “Vamos pensar em como manter os dois trabalhos.”