Riachão

Marcos Lauro Publicado em 03/07/2013, às 18h50 - Atualizado às 18h52

Riachão: cantando de memória
alisson louback

Álbumsem título definido

Previsto paraoutubro

Riachão é um dos grandes nomes do samba baiano e, mesmo assim, aos 92 anos, tem apenas quatro discos lançados – o mais recente já tem 13 anos e é independente. Agora, o músico está prestes a reaparecer para uma geração que nunca o ouviu cantar. Vania Abreu, cantora e irmã de Daniela Mercury, está dirigindo o projeto: Riachão vai a cada dois meses para São Paulo e tem um estúdio à disposição dele. Lá, Vânia conversa com ele e, durante o papo, ele vai se recordando das composições. “Já conseguimos 59 músicas e teremos mais quando ele vier gravar novamente”, ela conta. “Dá uma certa angústia, já que o trabalho é grande. Mas ele está muito bem e com uma voz afinadíssima!” As gravações são feitas a capela. “Ele não para! Mesmo nas saídas, está sempre cantando, se lembrando das músicas”, completa o produtor Serginho Rezende. Posteriormente, uma banda será escalada para musicar a voz de Riachão. As gravações devem render dois produtos: um é o disco, com 20 faixas inéditas; o outro é um documentário, dirigido por Robério Braga.