Pulse

A Vida do Gordo

Uma autobiografia está a caminho

Redação Publicado em 03/07/2013, às 16h17 - Atualizado em 07/08/2013, às 09h56

Gordo, nos tempos de Joãozinho
Arquivo Pessoal

“É como a do Ozzy Osbourne, escrita em primeira pessoa. Já fizemos várias entrevistas e está ficando demais”, conta o jornalista André Barcinski, que está trabalhando na autobiografia de João Gordo. “O João tem uma história de vida muito rica, mesmo antes de ele entrar para o Ratos de Porão. O pai era guarda, um homem bem rígido, e esse relacionamento não foi dos mais fáceis, para dizer o mínimo. Ele nasceu em 1964, junto com o golpe militar, e cresceu nos anos 70, uma época braba.” O livro, ainda sem título e com lançamento previsto para 2014, também terá como destaque a trajetória musical do artista. “As lembranças dele sobre como começou a gostar de rock são impagáveis”, diz Barcinski. “Não era moda curtir rock pesado no período, havia preconceito. O João foi uma figura fundamental no rock brasileiro. Conheceu o underground mais obscuro e o mainstream mais comercial e transita sem problemas pelos dois mundos”. Sobre o apelo popular de Gordo, o autor é definitivo: “O cara é admirado tanto pelo Jello Biafra quanto pela Eliana. É muito conhecido, especialmente pelas crianças. Acho incrível como o cantor de uma banda chamada Ratos de Porão se tornou um ídolo mirim”.