Diretor de Super Size Me fala sobre This Is Us, documentário em 3D que fez para o One Direction

Paulo Terron Publicado em 07/08/2013, às 13h03 - Atualizado em 27/09/2013, às 13h04

Morgan Spurlock
Divulgação

Mudança de temática

“Como documentarista, sinto-me abençoado em poder fazer coisas que denunciam, mostram os bastidores de algo e, ao mesmo tempo, receber um telefonema para produzir algo como isto.”

Vendido a Hollywood?

“Não estou me vendendo, estou pagando para entrar! [risos] Poucos diretores são chamados para fazer um filme como este. É uma ótima oportunidade poder fazer isso com um estúdio grande, em 3D, uma produção gigantesca. E também retratar esse momento único e especial para esses meninos, que estão explodindo no mundo todo.”

Por trás das câmeras

“Não apareço na tela em momento algum, não sou o sexto integrante da banda! Você não me vê tocando baixo no fundo, nada! [risos]”

O sucesso do One Direction

“Eles são muito gratos [pelo sucesso que têm]. Muito disso, acredito, vem da criação. Todos eles, com exceção do Niall, foram criados cercados por mulheres. Todos são humildes, tiveram uma criação muito simples. Eles sabem que são os caras mais sortudos do mundo.”

Ausência de restrições

“Tive liberdade total para contar a história que queria. Para mim é importante falar do ‘por que’ e do ‘como’ do sucesso deles. Por que eles? Por que agora? De onde vem esse sucesso?”

Mais um Super Size Me?

“Se eu faria de novo? Acho que não conseguiria. Mas eu deveria fazer uma continuação... Em 3D! Posso pular o 2 e ir direto para Super Size Me 3D – Obesidade em Três Dimensões.