O Chvrches tem músicas contagiantes e uma atitude que não é só visual

Rob Tannenbaum | Tradução: Ana Ban Publicado em 20/11/2013, às 13h21 - Atualizado às 13h22

GRANDES ESCOCESES
(Da esq.) Lauren, Cook e Doherty
JOHN KEATLEY

Em julho, o Chvrches tocou para 40 mil pessoas, abrindo para o Depeche Mode. “Quando fazemos shows em outros países e tem gente para ver, fico: ‘Ai, merda, como isto aconteceu? Será que vieram aqui para ver outra pessoa?’”, diz a vocalista Lauren Mayberry, com uma gargalhada. Ela vai ter de se acostumar. O trio escocês (que também tem os multi-instrumentistas Iain Cook e Martin Doherty) postou a primeira música na internet em maio de 2012, mas o som – uma atualização do synth pop da década de 80 – logo os transformou em astros. “Definitivamente, há um elemento retrô”, diz Lauren, 25 anos. “Mas não é só cópia.” As letras do álbum de estreia, The Bones of What You Believe, são cheias de atitude arrogante. “Se alguém acha que você ganhou na loteria da estética, é legal”, diz Lauren. Mas prefiro que não diminuam o que você faz só porque tem o cabelo brilhante.”