Pulse

Ice Blue defende maior “abertura” do Racionais

“Antes, a gente nem queria saber de trocar ideia”, relembra o rapper, quando o assunto são negócios relacionados ao grupo

André Caramante Publicado em 15/11/2013, às 13h11 - Atualizado às 13h11

Ice Blue
Rui Mendes

“Preso na Teia/ Vários negros estão mofando na cadeia/ Se arriscaram para fazer seu pé de meia/ Morreram na praia, caíram no canto da sereia.” É com esse trecho de um dos 16 raps que estarão no álbum Preso na Teia, que Ice Blue, do Racionais MC’s, explica as bases das ideias do seu disco em parceria com o rapper Helião, vocalista do RZO (Rapaziada da Zona Oeste). Helião é outro aliado agregado à caminhada do Racionais nos últimos anos. “Continuamos presos ideologicamente. O Racionais está preso na sua ideologia. Os negros sempre estarão presos no Brasil. As ideias continuam as mesmas, mano, mas temos várias formas de levá-las para nossos admiradores.”

O Racionais MC's estampa a capa da edição de aniversário da Rolling Stone Brasil. Leia aqui.

Mano Brown chancela o disco da dupla ao creditar a Helião o mérito de ter lapidado as onze letras de um dos discos de rap mais aclamados no Brasil nos anos 2000: O Rap É Compromisso, do rapper e ator Sabotage (assassinado a tiros, na zona sul de São Paulo, em janeiro de 2003) e que foi lançado pela gravadora do Racionais, a Cosa Nostra.

“Helião e eu tivemos uma junção inexplicável para fazer música. Nós vivemos isso. Amadureci muito musicalmente. Antes eu ouvia Milton Nascimento, Nana Caymmi, Lô Borges, mas não entendia. Hoje vejo coisas que não percebia. Começo a entender por que fizeram sucesso, o que falavam”, diz Blue.

Dono de uma marca de roupas com seu nome e na qual já teve como sócio o ex-deputado estadual e empresário Alberto Hiar (o Turco Loco, dono da marca Cavalera) e de uma empresa que faz sites, Blue tem orgulho de ser locutor do programa Balanço Rap, na rádio 105 FM, um dos líderes de audiência em São Paulo nas noites de domingo.

Ele também é um dos mais favoráveis dos quatro integrantes do Racionais a sempre estar aberto para sentar à mesa com quem propõe negócios ao grupo. “Antes, a gente nem queria saber de trocar ideia. Hoje, abrimos a porta e deixamos o cara falar o que quer conosco. Se for bom para o Racionais, vamos em frente. Se não for, já era.”

Seu círculo de conhecidos do showbiz é o mais expandido do grupo. Conversa com Luciano Huck, com os empresários Marcos Buaiz, Marcos de Moraes e Marcelo Loureiro e também com o ex-jogador Ronaldo Fenômeno, entre outros famosos. Para Fenômeno, que disse aos integrantes do grupo escutar Racionais quando se recuperava das graves lesões sofridas durante a carreira de jogador, Blue e Helião fizeram um rap.

Neste ano, Blue participou do videoclipe da música “Estilo Gangstar”, do rapper Tulio Dek, aparecendo ao lado de belas mulheres e de Ronaldo Fenômeno, em uma boate e ostentando carros caríssimos. “Nos falaram que iríamos apanhar muito quando o clipe saísse. Mas eu falei que estamos sempre na linha da crítica, no fogo. Falem mal ou bem, a gente aceita. Isso é construção”, diz Blue. “Mas tire o cenário do clipe e preste a atenção nas minhas ideias. Ainda são as mesmas.”

Tulio Dek é artista da gravadora Bagua Records, na qual Edi Rock é sócio do empresário Jairo Andrade Netto, visto por muitos dentro do rap nacional como um “playboy fazendeiro”. O estranho no ninho passou por um escrutínio, diz Blue. “Pegamos o dito playboy e o colocamos sob análise. Saiu lá de Goiás, do gostosinho dele nas fazendas com gado, e veio para São Paulo para aguentar orelhada desses caras de rap, que são chatos pra caralho. ‘Esse maluco está de brincadeira’, pensei. Fui lá trocar ideia com ele. Você tem certeza? Ele respondeu que era isso que ele amava e que iria abraçar com as dez [ir fundo]. ‘Então você terá o meu respeito’. É pelo rap, então vai aí. Não vou dar as costas porque, se naufragar, será o rap. Sempre criticamos que não havia investidor. Agora que chegou nós vamos dar as costas? Essa é a questão Bagua: investimento no rap.”

Foi de Blue também a iniciativa de, certa vez, invadir uma loja na região do Brás, área de comércio popular no centro de São Paulo, para cobrar direitos sobre as roupas com a marca dos Racionais vendidas no local. Quando o dono tentou impedir a retirada das roupas, Blue o agrediu. “O Racionais é uma empresa forte. Nós sabemos a força que temos”, finaliza Blue, que relembra na sequência quando o grupo impediu que sua apresentação no festival Lollapalooza 2012 fosse transmitida ao vivo pelo canal pago Multishow, da TV Globo. “Sentamos no camarim e dissemos: ‘Ou desligam as câmeras ou não vamos subir no palco. Resolve ali com a nossa advogada, por favor’.”

Em tempo: as camisetas pirateadas retiradas da loja acabaram distribuídas por Blue, KL Jay, Brown e Edi Rock para adolescentes que viviam nas ruas do centro de São Paulo.

Leia perfis dos outros integrantes do Racionais MC's nos textos relacionados abaixo.