Pulse

Mau Exemplo Exemplar

Para Axl Rose, toda hora é a hora certa para se criar confusão – ainda bem!

Miguel Sokol Publicado em 13/03/2014, às 07h29 - Atualizado em 26/03/2014, às 11h17

Axl Rose
Reprodução

The winter is coming? A sociedade em Game of Thrones/ teme a chegada do inverno, porque o Guns N’ Roses nunca anunciou uma turnê de nove shows na mítica Westeros. Axl is coming! E que os dragões da Xuxa Targaryen estejam preparados para cuspir fogo pelas redes sociais. Agora, a rainha loira deste reino “coxinha” chamado Brasil terá um mau exemplo exemplar para rechaçar, não um garoto malcriado que mastiga de boca aberta. Justin Bieber ser considerado um bad boy é sintoma de que nós ainda precisamos de Axl Rose. Mesmo sem a banda e a relevância que já teve um dia, ele ainda é uma ameaça. Talvez ele seja o último rock star realmente perigoso em atividade e, por isso, torço para que as coisas saiam erradas nesta turnê, pois com Axl tudo pode acontecer – e ainda acontece.

Em 2010, Axl começou o show do Guns no famoso Reading Festival uma hora atrasado, mas a organização, inglesa que era, não quis saber e, na hora marcada para o encerramento da noite, simplesmente desligou a aparelhagem com a banda em cima do palco. Axl atrasou porque estava dormindo no camarim, e a equipe dele é expressamente proibida de acordá-lo – quem o fizer estará automaticamente demitido, então deixaram o homem dormir. No entanto, naquela noite Axl demitiu toda sua equipe justamente porque ninguém teve coragem de acordá-lo! Algo pode ser mais rock and roll? Sim, o que Axl fez logo após demitir todo mundo: como era impossível contratar outra equipe, ele recontratou todos os demitidos. Agora sim, nada é mais rockstar do que isso – e a verdade é que isso não é nem a metade do que Axl é capaz.

Em 1987, ele estava no estúdio em que o Guns finalizava o que seria o clássico Appetite for Destruction, quando chegou a namorada do baterista Steven Adler, uma stripper chamada Adriana Smith. Ela tinha flagrado Steven com outra e, como vingança, disse para Axl fazer o que quisesse com ela. Ele fez tudo que você está imaginando (seu pervertido!), mas um detalhe garanto que você não imaginou – Axl ligou o microfone antes. E depois inseriu os gemidos dela em “Rocket Queen”. Pode escutar, eles ainda estão lá.

E o que Xuxa diria sobre aquela famosa apresentação em St. Louis, em 1991, na qual Axl foi preso após iniciar um quebra-quebra ao pular do palco para socar um fã que estava simplesmente tirando fotos? E pergunto mais: o que ela diria se tivesse visto Jim Morrison subir ao palco da Universidade de Michigan com o The Doors em 1967, tão doidão, que cantou quatro músicas em falsete até cair para trás, encerrando prematuramente o show? Ela provavelmente criticaria, como todos de fato criticaram. Todos, menos um aspirante a baterista chamado James Osterberg, que de tão impressionado, abandonou a bateria e o próprio nome para cantar sob a alcunha de Iggy Pop.

É por isso que torço para que tudo dê errado nesta turnê do Guns N’Roses: o rock está precisando de mais perigo do que Justin Bieber pode oferecer. E, para tanto, basta apenas um único Axl Rose se comportando como Axl Rose.