Entre dois opostos

Kit Harington tenta balancear a ética pessoal com o lado ambicioso de que não abre mão

Stephen Rodrick | Tradução: Ligia Fonseca Publicado em 13/06/2014, às 11h36 - Atualizado às 16h19

Tempo Quente
Harington curte o sol de Los Angeles após filmar Game of Thrones na Islândia
Mark Seliger

Kit harington está chegando ao cume da montanha para tomar algumas decisões. Ele caminha, sem ninguém por perto para reconhecê- lo, no Runyon Canyon, em Los Angeles. “Amo subir até aqui, porque, para mim, que sou londrino, é assim que Los Angeles se parece”, afirma o ator. “O barulho, o sol, o caos absoluto. Gosto disso.”

Ele começa o trajeto de volta. A decisão que tomou lá no topo? “Falei para o meu agente: ‘Chega de espadas, chega de cavalos’”, diz Harington, responsável por dar vida ao personagem Jon Snow em Game of Thrones. Descendo pela trilha, ele olha para trás e brinca: “E talvez assim eu possa cortar o cabelo”. Snow é o tristonho filho bastardo de um lorde morto que foi mandado para o exílio o gélido Norte, tendo como ferramentas de sobrevivência nada mais do que o cabelo, a espada e as habilidades pioneiras em dar prazer oral a mulheres. Além dessa combinação improvável, Harington tem sua própria teoria para o sucesso do programa e do papel. “A série começou quando a economia estava

muito ruim”, diz. “As pessoas procuravam um herói que tentava abrir caminho em um mundo sombrio que elas não entendiam. E encontraram Jon Snow.”

Harington afirma que, apesar de todas as diferenças entre o que é mostrado na tela e suas ações na vida real, existem semelhanças entre o ator e o personagem. “O que motiva a nós dois é mais parecido do que você imagina – ele é movido a ambição. Também sempre fui muito ambicioso”, revela. “Snow é uma boa pessoa que acredita no que está fazendo, mas esta é a luta: equilibrar o dever com a ambição. É assim que me sinto com minha vida. Sou muito ambicioso, mas como equilibro isso com não acabar com outras pessoas ao meu redor?”