Na paz e com boa música

New Orleans Jazz & Heritage Festival une grandes estrelas e artistas locais em evento marcado pelo público tranquilo Por Marcelo de Barros Camargo.

Marcelo de Barros Camargo Publicado em 11/06/2014, às 16h34 - Atualizado em 13/06/2014, às 12h26

Sossego 

Nos palcos do New Orleans Jazz & Heritage Festival:  Johnny Winter.

Ver Galeria
(2 imagens)

Se há alguns anos a cidade de nova orleans ficou quase inteiramente submersa após a passagem do furacão Katrina, é possível dizer que em 2014 a cidade foi inundada novamente –dessa vez, por centenas de músicos escalados para tocar no 45º New Orleans Jazz & Heritage Festival. De 24 de abril a 3 de maio, o evento abrigou shows de atrações estreladas como Santana, Eric Clapton, Bruce Springsteen, Robert Plant e Johnny Winter, além de artistas locais consagrados, como Tommy Malone, Tab Benoit e The Neville Brothers.

É possível comparar o Fair Ground de Nova Orleans, que normalmente recebe corridas de cavalos, ao Jockey Club de São Paulo, que abrigou por aqui duas edições do Lollapalooza e o festival Sonidos, entre outras maratonas culturais. Lá, no entanto, a estrutura era maior do que a exibida nos eventos da capital paulista: onze palcos, com shows começando por volta das 11h30 e terminando sempre depois das 19h. Quem quisesse, poderia até alugar cadeiras para assistir sentado aos shows – e quem decidisse abandonar a cadeira e passear pelo espaço muito provavelmente a encontraria mais tarde no mesmo ponto.

Apesar do nome, o New Orleans Jazz & Heritage Festival vai além do jazz tradicional, passando por rock, gospel, folk, ragtime e até mesmo música brasileira – neste ano, o evento contou também com uma tenda dedicada à cultura do país, mostrando grupos de capoeira, afoxé e samba, entre outras atrações. Mesmo com tamanha variedade, foram os grandes nomes que acabaram se estacando. Bruce Springsteen reuniu um dos maiores públicos vistos nos últimos 20 anos do festival – era praticamente impossível se locomover pela multidão enquanto The Boss estava no palco. Foi um show impecável, que passou por clássicos do início da carreira e canções do mais recente disco, High Hopes (2014). E como é praxe, Springsteen não deixou de homenagear um artista da cidade onde estava se apresentando: Dr. John recebeu a honraria de ser interpretado pelo astro, com direito a uma participação de John Fogerty, ex-Creedence Clearwater Revival, que apareceu de surpresa para uma canja.

Mas um dos espaços mais concorridos da edição 2014 do festival acabou sendo o palco Blues Tent, tendo recebido Johnny Winter (que aos 70 anos fez o público se levantar das cadeiras) e Roy Rogers & the Delta Rhythm Kings (na companhia do carismático violinista e harpista paraguaio Carlos Reyes). Entre as atrações locais, um dos melhores momentos foi oferecido pelo guitarrista e compositor Tommy Malone, artista que nunca se apresentou no Brasil.

O site Munck Music (munckmusic.com) comercializa o download de algumas das apresentações do evento. Se os vídeos não permitem sentir por completo o clima de tranquilidade que paira na atmosfera do New Orleans Jazz & Heritage Festival, ao menos eles fornecem o principal fator que faz deste um dos mais importantes eventos do gênero nos Estados Unidos: a música.