Mais Pesado, Menos Pop

Adam Levine diz que não liga para críticas e comenta o novo disco do Maroon 5

Rob Tannenbaum Publicado em 03/09/2014, às 17h11 - Atualizado em 17/03/2016, às 16h55

Adam Levine, do Maroon 5, com os cabelos loiros
Paul A. Hebert/AP

Adam Levine, vocalista do Maroon 5 e instrutor do programa The Voice, está dando os retoques finais no mais novo álbum da banda, V, que tem lançamento previsto para setembro. Antes disso, Levine recentemente apareceu nos cinemas no papel de um astro do rock no filme Mesmo se Nada Der Certo. Mas, diferentemente do personagem dele no longa-metragem do diretor John Carney, o músico não parece ser aficionado pelo estrelato. Se você ama a música do Maroon 5, Levine acha o máximo – e, se odeia, não é muito diferente: ele diz não sentir raiva de reações negativas ao trabalho que faz.

O novo álbum do Maroon 5 chama-se apenas V. A pronúncia é “vê” ou “cinco”?

Cada um chama como quiser. Quando os Beatles fizeram o Álbum Branco, ele não se chamava Álbum Branco, certo? Simplesmente não tinha nome. Estamos seguindo os passos dos nossos heróis.

É um Maroon 5 completamente novo, reinventado?

Será esse o nosso disco experimental de jazz? Nosso último álbum era uma coleção de músicas levemente irônicas e muito, muito, muito pop. O novo trabalho terá canções mais pesadas.

Stephen Colbert sugeriu que você pedisse desculpas por fazer com que “Moves Like Jagger” ficasse grudada na cabeça dele. Quer fazer o pedido publicamente?

Sinto muito, e vou tentar não fazer isso de novo. Mas quero que ele saiba que não são só os outros que sofrem – é algo que me aflige diariamente também. É tão grudenta que não sai nem da minha cabeça.

Em maio, quando você tingiu o cabelo de loiro, postou a seguinte mensagem no Twitter: “Espero que todos entendam que quando dizem que meu cabelo ficou meio bizarro, eu encaro como elogio”. Pode explicar isso?

Não me importo que achem que pareço ridículo. Fodam-se eles. Há tantas coisas no mundo que são dignas de comentários. A porra do meu cabelo não deveria ser uma delas.

Outro dos seus tuítes: “Instagram é como o Twitter, só que com uma personalidade pior”.

Eu gosto desse tuíte. O que eu quis dizer é que, no Twitter, você usa palavras para expressar um pensamento, certo? No Instagram, você usa uma foto. Talvez seja bonita, mas não diz muita coisa. O Instagram é como uma garota gata, mas meio fútil, e o Twitter é uma pessoa mais profunda. [Pausa]Eu não sou bom com metáforas.

Um escritor recentemente se referiu à música feita pelo Maroon 5 como “o toque de celular da namorada do capeta”.

Eu não ligo, cara. Até o capeta precisa de uma namorada. Odeio um monte de merda. Tenho opiniões pesadas sobre as coisas, como todo mundo. Só não fico dizendo em voz alta, porque é falta de educação.

Tradução: J.M Trevisan