Antropofagia Pessoal

Gui Boratto prepara novo álbum de inéditas sem preocupação comercial

Luciana Rabassallo Publicado em 08/09/2014, às 15h58 - Atualizado em 11/09/2014, às 12h08

Independent e Boratto não busca sucesso comercial.
Divulgação

Gui Boratto, um dos nomes de maior destaque da música eletrônica brasileira nos últimos anos, tem uma visão muito peculiar a respeito do novo disco dele, o quarto álbum da carreira, que chegará às lojas em outubro. “O Abaporu mostra a deglutição da minha própria obra e das minhas referências”, filosofa. “Muitos artistas, assim como eu, trabalham em uma espécie de círculo. Por isso, este álbum está muito próximo do meu primeiro, Chromophobia [2007], marcando um ciclo de sete anos.”

Para o paulistano, que teve em 2008 bastante sucesso com o single “Beautiful Life”, êxito comercial não é uma meta. “Não lanço um disco pensando em uma forma de agradar ao mercado”, afirma ele. O novo trabalho, aliás, foi grandemente influenciado por um período mais caseiro da vida de Boratto. “Passei bastante tempo em casa, com a minha família, e dei um tempo na agenda de apresentações˜, revela. “Essa decisão influenciou no processo de criação do disco.”