Afeganistão reabre Ensino Médio - mas Talibã barra meninas

Porém, grupo extremista revelou como pretende reabrir Ensino Médio para meninas no futuro, sem citar data

Redação Publicado em 22/09/2021, às 08h55

None
Mulheres afegãs (Foto: Paula Bronstein/Equipe)

Afeganistão reabriu Ensino Médio com retorno de meninos, mas Talibã barrou meninas, segundo informações da BBC. No último sábado, 18, o grupo extremista declarou a retomada das aulas no país: "Todos os professores e alunos do sexo masculino devem frequentar as instituições de ensino."

Essa decisão mostra um alinhamento com o governo anterior do Talibã entre 1996 e 2001, no qual mulheres eram privadas de direitos e torturadas em alguns casos. Como o site apontou, a exclusão de meninas nas escolas pode ter sido fácil, de certa maneira, porque as instituições de ensino no Afeganistão são segregadas por sexo.

+++LEIA MAIS: Talibã, Estado Islâmico, Al-Qaeda: semelhanças e diferenças

"Estou muito preocupada com meu futuro," afirmou uma estudante do país, quem deseja ser advogada, à BBC. "Tudo parece muito sombrio. Diariamente acordo e me pergunto: 'Por que estou viva?' Devo ficar em casa e esperar alguém bater na porta e me pedir em casamento? É esse o propósito de ser mulher?"

Anteriormente, Talibã anunciou como mulheres poderiam estudar em universidades, mas apenas se seguissem um novo código de vestimenta e sem a presença de homens. Como BBC explicou, alguns sugeriram como essas demandas excluiriam mulheres do sistema educacional, porque instituições não possuem recursos para separar aulas. Além disso, impedir meninas nas escolas também impede a chegada delas ao ensino superior.

+++LEIA MAIS: Tom Morello escreve carta aberta para ajudar estudantes de música no Afeganistão; entenda

No entanto, o Talibã anunciou na última terça, 21, a reabertura de escolas para meninas no Afeganistão, sem citar data para isso acontecer. No regime anterior, o grupo extremista não deixava mulheres irem para escola, assim como proibia qualquer pessoa do sexo feminino a sair de casa sem um homem.

"No caso das escolas [para estudantes do sexo feminino], o Ministério da Educação trabalha arduamente para fornecer as bases para a educação de meninas do ensino médio o mais rápido possível, os trâmites estão em andamento e espera-se que isso aconteça, se Deus quiser," afirmou Zabihullah Mujahid, porta-voz do Talibã, durante entrevista coletiva em Cabul (via CNN).

+++LEIA MAIS: Talibã faz 'funeral' com bandeiras de países rivais para comemorar saída dos EUA do Afeganistão