Como Eu Nunca... inova nos clichês de séries adolescentes?

Eu Nunca..., série adolescente da Netflix, quebrou com diversos clichês do gênero ao trazer mais representatividade e tramas diferentes

Mariana Rodrigues (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 01/08/2021, às 11h00

None
Devi, Fabiola e Eleanor em Eu Nunca... (Foto: Isabella B. Vosmikova/Netflix)

[Atenção: pode conter spoilers de Eu Nunca...]

Eu Nunca... (2019) é uma das séries da Netflix voltadas para o público adolescente - mas engana-se quem pensa que esse é apenas mais um clichê do gênero. A produção acompanha Devi (Maitreyi Ramakrishnan), uma jovem norte-americana com descendência indiana em busca da popularidade no ensino médio.

Além das dificuldades para se encaixar, também precisa lidar com as diferenças culturais da Índia e dos Estados Unidos. Com a ajuda das amigas, Fabiola (Lee Rodriguez) e Eleanor (Ramona Young), Devi consegue finalmente atrair a atenção de Paxton (Darren Barnet), o garoto mais popular do colégio, mas conquistá-lo não será uma tarefa fácil.

+++ LEIA MAIS: 6 referências de Gossip Girl no reboot: rivalidade entre Blair e Serena, escadas do Met e mais [LISTA]

À primeira vista, Eu Nunca... tem tudo para ser um clichê adolescente perfeito: garota nerd que quer ser popular, um garoto bonito que chama a atenção de todos e, além disso, um rival que faz de tudo para diminuir a protagonista. No entanto, apesar de preencher os requisitos para ser apenas mais uma série adolescente, a produção se destaca ao inovar na trama para construir uma história envolvente e criativa em diversos pontos.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Never Have I Ever (@neverhaveiever)

 

O trio de protagonista com (muita) representatividade

Pretty Little Liars (2010), Riverdale (2017), Gossip Girl (2007) e outras séries têm muitos aspectos em comum e são aclamadas pelo público adolescente. No entanto, várias falham em um mesmo ponto: representatividade.

+++ LEIA MAIS: 5 avós icônicos dos cinemas e da televisão: De Diário da Princesa a Modern Family [LISTA]

O elenco principal, na maioria das vezes, é composto apenas por pessoas brancas - algo que está mudando aos poucos. Novas produções como Sex Education (2019) e Julie e Os Fantasmas (2020) trazem novos personagens de diferentes etnias, assim como Eu Nunca...

Apesar de ser norte-americana, Devi tem descendência indiana, e isso é abordado diversas vezes na série, inclusive é um dos motivos que fazem a protagonista entrar em conflito com a mãe. Junto a ela, Eleanor, asiática, e Fabiola, negra, completam o trio de protagonistas — sem nenhuma personagem branca. 

+++ LEIA MAIS: 6 ensinamentos de This Is Pop, série documental da Netflix sobre a história do pop [LISTA]

A desconstrução da protagonista "perfeita"

Devi está longe de ser perfeita. Muitas produções constroem protagonistas com as quais o público adoraria se identificar, seja pela aparência quase de uma "princesa da Disney" ou pela personalidade extremamente simpática e praticamente impossível de odiar — mas esse não é o caso de Devi.

Egoísta, egocêntrica, impulsiva e incapaz de controlar as emoções, Devi é uma pessoa bem difícil de lidar e isso fica evidente ao longo da série, quando briga diversas vezes com as pessoas ao redor. Por isso, o público acaba se irritando e até não gostando da personagem.

+++ LEIA MAIS: 6 séries de comédia incríveis 'escondidas' na Netflix: Master of None, Supermães e mais [LISTA]

No entanto, Devi está entre as protagonistas mais reais das séries adolescentes. Afinal, a probabilidade de alguém ser tão perfeito na realidade é praticamente nula. Devi erra inúmeras vezes, se arrepende, pede desculpas e faz de tudo para tentar melhorar. Apesar da jornada para se tornar uma pessoa melhor ser longa, ela com certeza está no caminho certo.

Sem vilã?

Nos primeiros episódios, pode parecer que Ben (Jaren Lewison), "inimigo" de infância de Devi é um vilão em potencial, mas logo fica claro como ele está distante de ser tão mau assim. Eu Nunca... não tem garotas populares fazendo bullying ou alguém implicando tanto assim com as protagonistas ao ponto de fazer elas se sentirem mal.

+++ LEIA MAIS: Qual seria o título alternativo de Cobra Kai?

Pelo contrário, em muitas ocasiões, a situação sai do controle e dá errado apenas por culpa dos próprios personagens e dos sentimentos e atitudes deles. Devi erra com as amigas, assim como a mãe dela erra com ela e todos os conflitos na série são gerados por conta de comportamentos como esses.

Nada de transformação — muito menos na aparência

A transformação de Mia (Anne Hathaway) em O Diário da Princesa (2001) é uma das cenas mais icônicas das comédias românticas adolescentes e que se repetiu em diversas produções. Por muito tempo, em filmes e séries, acreditava-se que apenas esse retoque no visual era capaz de transformar a vida das protagonistas que não se encaixavam. 

+++ LEIA MAIS: 5 curiosidades sobre Stranger Things, da Netflix: Easter egg, nome original e mais [LISTA]

Devi está longe do padrão de beleza frequentemente reproduzido no cinema. Não é branca, nem loira, muito menos super alta e magra - mas isso em nenhum momento se torna uma questão. Devi quer conquistar Paxton e vai fazer o possível para parecer interessante para ele, mas não muda de personalidade ou aparência em nenhuma situação. Devi é apenas Devi.

Pautas importantes 

Apesar da história simples, Eu Nunca... não deixa de lado pautas importantes. No início da série, Devi precisou lidar com o luto pela morte do pai - trama que tornou a produção muito mais sensível e emocionante. Além disso, Eleanor aprendeu muito com o abandono da mãe enquanto Fabiola enfrentou o medo de falar sobre a sexualidade com os pais. São pautas necessárias abordadas com muita leveza e bom humor.

+++ LEIA MAIS: 5 motivos para assistir Young Royals, série sueca de drama teen da Netflix [LISTA]


+++ RS TRENDING | CONHEÇA OLIVIA RODRIGO: VIDA, RECORDES, SOUR E MAIS!