Governador gay Eduardo Leite não será ativista LGBTQ+ na campanha à presidência

Eduardo Leite quer concorrer à presidência - mas, mesmo sendo gay, não levantará bandeira LGBTQ+

Redação Publicado em 08/09/2021, às 20h06

None
Eduardo Leite (Foto: Governo do Estado de São Paulo / Wikimedia Commons)

Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio do Grande do Sul, declarou publicamente ser homossexual. No entanto, o político de 36 anos não levantará bandeira LGBTQ+ na campanha à presidência. 

Leite precisa passar pelas prévias do PSDB contra o governador de São Paulo, João Doria, para concorrer à presidência. Em recente entrevista, Leite revelou defender a tolerância e igualdade de gênero, mas explicou como não será um ativista dos direitos LGBTQ+. 

+++ LEIA MAIS: Bolsonaro comenta atos de 7 de Setembro: 'Vamos mudar o destino do Brasil'

“Nem toda mulher é uma ativista feminista, nem todo negro é um ativista da causa racial e nem todo gay precisa ser um ativista que imponha essa bandeira como a sua causa... Não quero me alçar a ser esse ativista porque esse papel é melhor cumprido por outras pessoas, mas esse tema sempre vai receber meu respeito como sempre teve," contou em entrevista no Palácio Piratini ao Bloomberg Linea

Com isso, Leite surge como uma terceira opção para quem não pretende votar em Jair Bolsonaro ou Luiz Inácio Lula da Silva nas próximas eleições presidenciais - e o governador comentou o que pensa sobre a maneira do atual presidente tratar os direitos LGBTQ+. 

+++ LEIA MAIS: ‘Quem quer paz que se prepare para a guerra’, diz Bolsonaro em cerimônia com militares

“No Brasil de hoje, infelizmente, [homossexualidade] é um assunto, especialmente pela forma com que Bolsonaro trata o tema. Não tenho dúvida que tentariam dizer que eu tenho algo a esconder,” finalizou Leite.