Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Kanye West é 'expulso' de loja após aparecer 'sem aviso prévio'; entenda

Segundo a loja de calçados Skechers, Kanye West também 'se envolveu em filmagens não autorizadas'

Redação Publicado em 27/10/2022, às 10h55

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Kanye West (Foto: Brad Barket / Getty Images for Fast Company)
Kanye West (Foto: Brad Barket / Getty Images for Fast Company)

Após polêmicas com falas antissemitas, Kanye West foi expulso da Skechers, loja de calçados, em Manhattan Beach, Califórnia, na última quarta, 26, após separação da Adidas com a Yeezy. O rapper e equipe precisaram ser "escoltados" para fora do prédio por dois executivos da empresa "após aparecerem sem aviso prévio." As informações são da People.

A empresa falou sobre o incidente em um comunicado e alegou como West também "se envolveu em filmagens não autorizadas." "Skechers não está considerando e não tem intenção de trabalhar com Kanye West," afirmou. "Condenamos seus recentes comentários divisivos e não toleramos antissemitismo ou qualquer outra forma de discurso de ódio."

+++LEIA MAIS: Kanye West: Madame Tussauds remove estátua de cera após falas antissemitas


Adidas rompe com Kanye West após comentários antissemitas

Adidas anunciou suspensão da parceria com Kanye 'Ye' West após diversas polêmicas e falas antissemitas do músico nesta terça, 25. A marca condenou atitudes e reiterou que produtos pararam de ser fabricados.

O rompimento com a Yeezy, marca idealizada por Ye e centro da relação comercial entre as empresas, trará prejuízo de 250 milhões de euros (aproximadamente R$ 1,3 bilhão), como vendas do último trimestre do ano são essenciais.

+++ LEIA MAIS: Elon Musk revela conversa com Kanye West após tuíte antissemita

Entre outras falas nas últimas semanas, West afirmou que George Floyd morreu por conta do opioide fentanil, disse não acreditar em antissemitismo e usou camisas com a frase "vidas brancas importam" - ironizando o movimento Black Lives Matter. As publicações do rapper renderam o bloqueio do Twitter e Instagram.

"Após revisão completa, a empresa tomou a decisão de encerrar parceria com Ye, encerrar a produção de produtos da Yeezy e parar todos os pagamentos a Ye e suas empresas. A Adidas interromperá os negócios com efeito imediato," diz a nota publicada no site da empresa (via G1).

+++ LEIA MAIS: Kanye West está 'maluco' e precisa de 'ajuda,' diz Trump

"Os comentários e ações recentes de Ye foram inaceitáveis, com ódio e perigosos, e violam os valores de diversidade e inclusão da empresa, assim como o respeito mútuo e a justiça," continuou, antes de afirmar que a Adidas é contra o antissemitismo e qualquer tipo de preconceito. Segundo a marca, todos os designs da Yeezy pertencem à Adidas.

Balenciaga e Kanye

Balenciaga também encerrou parceria com o rapper Kanye 'Ye' West após diversos comentários controversos, incluindo falas antissemitas nas redes sociais.

+++ LEIA MAIS: Balenciaga corta laços com Kanye West após declarações antissemitas

"Balenciaga não possui mais qualquer relação ou planos para projetos futuros relacionados a este artista," a Kering, dona da marca, afirmou ao jornal Women’s Wear Daily na última sexta, 22, sem maiores detalhes.