Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Entretenimento / Alcoólicos Anônimos

Kelly Osbourne relembra primeira reunião do AA com Matthew Perry: 'Tão gentil'

Matthew Perry ajudou Kelly Osbourne a superar o medo em primeira reunião do AA

Redação Publicado em 21/11/2023, às 15h56

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Kelly Osbourne (Foto: Araya Doheny/Getty Images) | Matthew Perry (Foto: Phillip Faraone/Getty Images)
Kelly Osbourne (Foto: Araya Doheny/Getty Images) | Matthew Perry (Foto: Phillip Faraone/Getty Images)

A família OsbourneKelly, Jack, Sharon e Ozzy — percorreu diversos temas sobre saúde mental até falar sobre Matthew Perry, durante episódio lançado nesta terça-feira, 21, do The Osbournes Podcast

+++LEIA MAIS: Ozzy Osbourne fala sobre saúde mental e reclama de antidepressivos: 'Mata sua libido'

Kelly afirmou que tinha uma história sobre o ator de Friends:

Eu queria compartilhar uma história sobre ele no meu Instagram, mas não compartilhei, porque sinto que, quando alguém morre, todo mundo quer dizer: 'Eu conhecia essa pessoa'. Mas, uma vez, quando eu estava num lugar muito ruim, com uns 19 anos — e era a primeira vez que eu fazia tratamento —, fui à primeira reunião do AA, no domingo de manhã, e eu estava me cagando de medo por estar ali. Tinha tanta gente, eu odiava isso, não achava que pertencia àquele lugar, me senti inútil. Só queria ir para casa, porque sabia onde estava e sabia como sair de lá. E ele veio até mim — acho que eu estava visivelmente sofrendo — e me entregou um 'objeto de 60 segundos'. 'Apenas segure isso. Se você conseguir passar por isso, consegue sobreviver aos próximos 60 segundos', ele disse. Eu fiquei tipo, 'Ok. E eu guardei, está em algum lugar. Lembro dele sendo tão gentil.'

"Não sabia que ele tinha transformado a casa de Malibu dele em um centro de tratamento", disse Sharon. "Ele costumava se reunir com a gente em casa sempre", lembrou Jack, que ainda constatou que grande parte daqueles que frequentavam reuniões do AA está morta.