Passaporte para Liberdade: 5 curiosidades sobre série da Globo - elenco internacional, filmagens na pandemia e mais [LISTA]

Lançada no dia 20 de dezembro, a série conta a história de Aracy de Carvalho, que ajudou judeus na Segunda Guerra Mundial

Redação Publicado em 28/12/2021, às 19h40

None
Sophie Charlotte em Passaporte para Liberdade (Foto: Reprodução /Twitter)

A série Passaporte para Liberdade marca um feito inédito para a Rede Globo: a produção, resultado de uma parceria da emissora com a Sony Pictures Television, é a primeira a ser gravada totalmente em língua inglesa.

Estrelada por Sophie Charlotte, a minissérie conta a história de Aracy de Carvalho, esposa do escritor João Guimarães Rosa que supostamente ajudou judeus durante a Segunda Guerra Mundial ao facilitar vistos para eles no Brasil.

+++ LEIA MAIS: Telecine se une ao Globoplay e ganhará área personalizada no streaming da Globo

Além da narrativa, os bastidores de Passaporte para Liberdade são muito interessantes. Pensando nisso, separamos cinco curiosidades sobre a produção. Confira:

Passaporte para Liberdade: Elenco internacional

Com foco internacional, a série conta com atores de diversos países, segundo o Gshow. Além dos brasileiros Sophie Charlotte, Rodrigo Lombardi, Tarcísio Filho, Gabriela Petry, João Cortês, Bruce Gomlevsky e Jimmy London, a produção conta com os alemães Peter Ketnath, Stefan Winert e Tomas Sinclair Spencer; o italiano Jacopo Garfagnolli; a polonesa Izabela Gwidzak; a israelense Sivan Mast; e o americano Brian Townes.

+++ LEIA MAIS: Para matar a saudade: 5 séries amadas na TV brasileira para assistir no Globoplay [LISTA]


Passaporte para Liberdade: Filmagens na pandemia

O seriado foi uma das muitas produções que foram interrompidas pela pandemia de covid-19. "Já tinha 30% da minissérie rodada quando, em março de 2020, tudo parou. Uma loucura. Ficamos um ano com elenco internacional contratado," disse o diretor artístico Jayme Monjardim para o Splash.

Ele continuou: "Em janeiro deste ano, fomos os primeiros a retomar os trabalhos nos Estúdios Globo e terminamos em maio. Com vários testes feitos dia sim, dia não, regras de distanciamento, acrílico para cenas de maior proximidade e muito álcool em gel."

+++ LEIA MAIS: 9 séries internacionais para assistir no Globoplay: de Grey's Anatomy a Big Bang Theory [LISTA]


Passaporte para Liberdade: Quantos figurantes?

A pandemia também impediu que a série usasse muitos figurantes, então a produção usou alguns truques para aproveitar o pequeno time de atores. "As mesmas pessoas passavam em frente à câmera, davam a volta, mudavam de roupa e passavam de novo. Fechamos em um grupo de 20 figurante que se revezavam nos dias, mas eram sempre os mesmos," disse Monjardim ao Splash.


Passaporte para Liberdade: atuação em inglês

Os atores brasileiros precisaram colocar o inglês em prática nas filmagens. E Tarcísio Filho foi um dos atores que teve dificuldades com a língua, mas transformou o empecilho em oportunidade.

+++ LEIA MAIS: 5 séries nacionais para assistir no Globoplay: de O Caso Evandro a Shippados [LISTA]

"Tive grande dificuldade em remodelar a minha cabeça. A cabeça da gente funciona há muitos anos em português, e não adianta você apenas falar bem o idioma [...] perceber isso, a dificuldade que isso acarretou, é muito interessante. Aprendi mais nesse trabalho do que em muitos outros, justamente porque ele me forçou a repensar o meu 'approach', a minha condição de artista. Foi muito maluco, uma redescoberta muito interessante para mim," disse Filho ao F5.


Passaporte para Liberdade: Guimarães Rosa

Guimarães Rosa não ficou de fora da série e foi interpretado por Rodrigo Lombardi. O ator contou ao Gshow que precisou criar a própria versão do ícone da literatura brasileira para a série.

+++ LEIA MAIS: 4 curiosidades sobre Verdades Secretas: de Emmy a finais reescritos [LISTA]

“Muito pouco registro do João Guimarães Rosa a gente tem em vídeo. Seria, para mim, impossível e até ofensivo querer construir alguma coisa de 3 ou 4 vídeos que a gente tem, de pouca duração cada um e falar de como ele era. Então me ative ao homem e aos fatos: construí um João Guimaraes Rosa que era um homem que fez o que ele fez.”