Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Por que Paul Mescal ficou 'com muito medo' de Pedro Pascal em Gladiador 2?

Paul Mescal interpretará personagem inédito na sequência de Gladiador, clássico dirigido por Ridley Scott

Redação Publicado em 28/08/2023, às 14h50

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Paul Mescal (Foto: Tristan Fewings/Getty Images) e Pedro Pascal (Foto: Jeff Spicer/Getty Images for Disney)
Paul Mescal (Foto: Tristan Fewings/Getty Images) e Pedro Pascal (Foto: Jeff Spicer/Getty Images for Disney)

Grande estrela de Gladiador 2, sequência do clássico filme dirigido por Ridley Scott (que volta ao cargo), Paul Mescal revelou como ficou "com muito medo" de Pedro Pascal, que também está no elenco, antes das filmagens começarem oficialmente.

Durante entrevista à Esquire, feita antes da greve do sindicato de atores de Hollywood em 2023, Mescal relembrou como teve bastante insegurança de interagir com Pascal. No entanto, os dois tiveram uma interação bastante agradável no Aeroporto Internacional de Los Angeles.

Ele apareceu e parecia tão genuíno. Estou realmente ansioso para sair com ele.

+++LEIA MAIS: Foe: filme com Paul Mescal e Saoirse Ronan ganha trailer


Cenas íntimas entre Paul Mescal e Andrew Scott mostram 'natureza subjetiva de fazer sexo'

Antes das filmagens de All of Us Strangers(2023) começarem, o diretor Andrew Haigh reuniu sua equipe de produção e conduziu uma visita à casa onde passou a infância, mostrando seu antigo quarto e os lugares favoritos de seus pais. Ele planejava transformar o interior para refletir o passado e criar um elo simbólico.

Adaptado vagamente do romance Strangers (1987) de Taichi Yamada, o filme mergulha na visão expansiva do diretor, equilibrando romance e trauma.

+++LEIA MAIS: Taylor Swift e Paul Mescal recebem convite para a Academia do Oscar

A trama segue Adam (Andrew Scott), um escritor solitário de 40 anos que se apaixona pelo vizinho Harry (Paul Mescal). Enquanto o relacionamento deles floresce, Adam é atraído de volta à casa onde cresceu, abandonada por sua família há muito tempo. Lá, ele reencontra seus pais (Claire Foy e Jamie Bell), mesmo que eles tenham morrido tragicamente quando ele era criança. Através desses encontros, Adam busca compreender a vida deles, compartilhar sua orientação sexual e explorar o vínculo inexistente.

Haigh desafia seu estilo naturalista ao abordar elementos sobrenaturais, enquanto explora a subjetividade do sexo e do amor. Os protagonistas, interpretados por Scott e Mescal, personificam a intensidade da conexão física e emocional. A trama é enriquecida pela química instantânea entre os atores, resultando em cenas de sexo que capturam a complexidade da intimidade humana.

+++LEIA MAIS: Gladiador 2: Russel Crowe sente 'um pouco de ciúme' da sequência com Paul Mescal

“Fui mais objetivo na forma como filmei cenas de sexo no passado”, diz o cineasta à Vanity Fair. “Aqui, eu realmente queria sentir a natureza subjetiva de fazer sexo e como é — o nervosismo, a excitação e a sensação física de ser tocado por outra pessoa, e o que isso faz com você.” O filme também mergulha nas experiências de crescer como um homem gay nos anos 80, conectando as trajetórias de Adam e Harry com as memórias compartilhadas do diretor e atores.

All of Us Strangers não é uma autobiografia, mas reflete as jornadas internas de Haigh e seu elenco. A história é uma exploração poética de como o amor, em suas várias formas, molda a identidade humana. O diretor mergulha na natureza da família, amor, relacionamentos e como eles moldam nossa vida adulta. Ao mesclar o passado e o presente, ele cria uma meditação profunda sobre a influência do tempo e das emoções, culminando em uma experiência cinematográfica emocional e reveladora.