Por que Round 6, série da Netflix, faz tanto sucesso? [ANÁLISE]

Com críticas ao capitalismo e retratos cruéis da sociedade, Round 6 é grande sucesso de audiência desde o dia do lançamento

Camilla Millan Publicado em 11/10/2021, às 11h20

None
Round 6 (Foto: Divulgação/Netflix/YOUNGKYU PARK)

A série sul-coreana Round 6 estreou no catálogo da Netflix em 17 de setembro de 2021, e em poucas semanas estabeleceu-se como um dos maiores sucessos do streaming. No Rotten Tomatoes, a produção tem mais de 90% de aprovação, além de alcançar o topo de séries mais assistidas em 84 países. Mas de onde vem tanto sucesso?

Para entender (ou pelo menos refletir) sobre o sucesso avassalador da série da Netflix, é necessário começar pela trama da produção. Round 6 acompanha pessoas endividadas e desesperadas que aceitam participar de uma competição mortal na tentativa de chegar ao final e receber o prêmio de 49 bilhões de wons (cerca de R$ 221 bilhões).

+++LEIA MAIS: 4 motivos para assistir Round 6, da Netflix: cenários deslumbrantes, críticas sociais e mais [LISTA]

Ainda, a produção apresenta os terríveis VIPs — pessoas que pagam para assistirem aos jogos mortais e apostam nos participantes, além de caçoar dos que não seguem adiante na competição.

Em uma mistura de ação, cenas sangrentas, críticas sociais, personagens complexos e alguns toques — tragicamente — cômicos, Round 6 entrega ao espectador nove episódios de muita adrenalina e angústia. E o sucesso prova que é inegável a grandiosidade da série.

+++LEIA MAIS: Round 6: Conheça o elenco (e personagens) da série hit da Netflix


Crítica ao capitalismo

Em tempos de home office, pandemia, crise financeira e política, é difícil não sentir que, em algum momento, somos humilhados pelo mercado de trabalho. Round 6 explora essas frustrações em um ápice, não retratando uma narrativa totalmente distópica, mas exagerando situações possivelmente vivenciadas por muitos — e isso gera um processo de identificação.

Conforme explicou o historiador Gustavo Nassar Gaiofato nas redes sociais, mais do que precariedade financeira, Round 6 aborda a crueldade do mercado em tirar a dignidade do trabalhador, que muitas vezes sofre sem recursos ou direitos básicos. Ao extremo, esta é a realidade da trama. A produção, contudo, deságua e potencializa todas essas problemáticas em um jogo onde se paga com a vida.

+++LEIA MAIS: Round 6: Telefone exibido na série é alvo de pegadinhas - e pode gerar acordo de milhões; entenda

Segundo o historiador, jogos como "Mega Senha" e "Agora ou Nunca" também podem servir de paralelo à humilhação e desumanidade do jogo mortal de Round 6. A série trabalha como a competição e a dor é transformada em riso ou em um mero programa de entretenimento. Afinal, até onde o mercado de trabalho e o sistema capitalista submetem o trabalhador?


A curiosidade pelo bizarro

Apesar de abordar cruéis elementos cotidianos da sociedade, a série Round 6 também aposta no exagero dessas características, principalmente quando se trata da violência. Cada jogo, cenário ou morte é explorada em sua máxima bizarrice — algo que, definitivamente, chama a atenção.

+++LEIA MAIS: Amou Round 6? Conheça 4 séries distópicas para maratonar: de Alice in Boderland a 3% [LISTA]

Conforme explicou o psicólogo Sérgio Oliveira em entrevista ao AquiNotícias, não existe uma única resposta para o interesse do público em assuntos mórbidos. O ser-humano, contudo, é curioso — o que pode justificar o sucesso produções sobre serial killers no streaming. O espectador se vê diante de um tabu, considerado atraente por ser, justamente, proibido.

Em Round 6, as cenas violentas que passeiam entre os limites da vida e da morte também geram curiosidade e atração. Afinal, como os participantes da competição vão conseguir (ou não) desviar do esperado final trágico?

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Netflix Brasil (@netflixbrasil)

+++LEIA MAIS: Round 6, série sul-coreana da Netflix, tem 100% de aprovação no Rotten Tomatoes; conheça


Identificação com personagens e enredo

Ao abordar situações cotidianas, mesmo que de forma exagerada, a trama abre a possibilidade para haver uma identificação entre público e série. Os espectadores podem se enxergar nas tragédias que acontecem no enredo, além de buscar nos personagens aspectos que remetam a si próprios.

Afinal, em uma competição pela vida (e pelo prêmio de 49 bilhões de wons) quem você seria? A pessoa que tentará chegar ao final a qualquer custo ou o participante que, mesmo em uma situação extrema, irá manter valores de convivência e moralidade?

+++LEIA MAIS: Round 6, série sul-coreana da Netflix, é acusada de plagiar filme japonês As The Gods Will; entenda

Parece que enquanto observamos o enredo trágico de Round 6, passeamos entre os personagens e as respectivas estratégias de jogo, em busca de definir que categoria de competidor seríamos nessa situação.


Construção de episódios e personagens

Além de reflexões sobre a crueldade da sociedade, as questões técnicas de Round 6 também ajudam para o sucesso da série. A produção é dividida em nove episódios de cerca 50 minutos — e a cada final de capítulo, uma reviravolta ou um acontecimento extremo faz o espectador pular para o próximo imediatamente.

+++LEIA MAIS: WhatsApp de Round 6? Netflix faz brincadeira da série no aplicativo; veja como participar

O ritmo da série, construído com maestria ao longo dos episódios e etapas da competição mortal, aumenta a angústia do espectador, que se vê inserido nos acontecimentos e jogos imprevisíveis. Nunca se sabe o que está por vir.

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Netflix Brasil (@netflixbrasil)

 

Ainda, o elenco fantástico consegue transmitir, através das atuações emblemáticas, o sofrimento e a complexidade de cada personagem. Envolta por um mistério, a origem e os motivos de cada competidor participar do jogo é desenvolvido ao longo da narrativa — o que estabelece uma relação ainda maior entre a trama e o espectador.

+++LEIA MAIS: Round 6: 3 opiniões impopulares sobre série hit da Netflix [LISTA]