True Detective: Raeden Greer revela demissão por não ceder pressão de diretor de 007 para fazer cena de nudez; entenda

Raeden Greer revela que cena de nudez não fazia parte do contrato - mas Cary Fukunaga pressionou para que ela fizesse

Redação Publicado em 14/10/2021, às 11h21

None
Raeden Greer (Foto: Reprodução) | Cary Fukunaga (Foto: Slaven Vlasic/Getty Images for Metro Goldwyn Mayer Pictures)

Raeden Greer revelou que foi demitida após a primeira temporada de True Detective, série dirigida por Cary Joji Fukunaga, porque o diretor a pressionou para fazer uma cena de nudez, a qual, não estava prevista no contrato. 

Em entrevista ao portal Daily Beast, a atriz de 33 anos relembrou a terrível experiência com Cary Fukunaga, diretor de 007: Sem Tempo Para Morrer: "Você não pode simplesmente tratar as pessoas como se elas fossem um par de seios, isso dói muito," disse a artista, quem tinha 24 anos na época. 

+++LEIA MAIS: 007: Como Cassino Royale se conecta com Sem Tempo Para Morrer? Diretor responde

Ela relembrou: "Eles vão tentar alguma coisa comigo? Porque isso nunca foi mencionado – de que havia qualquer nudez neste papel. Então, comecei a perguntar depois disso, tipo: ‘Para ficar claro, não há nudez envolvida neste papel, certo?’ Eu continuei recebendo a mesma resposta do meu agente e do casting: 'Não, seria absolutamente inédito se eles pedissem para você fazer nudez já que não está previsto'," afirmou.

Ao ver o figurino da própria personagem, a atriz previu que, provavelmente, precisaria fazer cenas de nudez e foi falar com o diretor: "Eu estava, tipo, frenética porque eu não queria fazer isso, eu não queria ficar nua. Eu não esperava, isso não é justo. 'Você está esperando que eu faça isso?'," questionou a atriz. 

+++LEIA MAIS: 007 — Sem Tempo Para Morrer: Qual foi a profissão do diretor antes de carreira no cinema?

Segundo ela, Cary Fukunaga respondeu: "Todo mundo neste programa faz topless. Todas as mulheres do programa fazem topless. Sua personagem é uma stripper, então você tem que fazer isso." Ainda, tentou convencer a atriz com argumentos como: "Vai ser muito gostoso ou, no final das contas, simplesmente insignificante," contou. Na entrevista, argumentou: "Se era tão insignificante, por que ele foi tão insistente?"

A atriz continuou recusando a fazer a cena que, conforme ela relatou, não estava prevista no contrato. Em sequência, Fukunaga disse que daria um jeito e, pouco depois, o diretor voltou alegando que outra pessoa assumiria a produção para substituir Greer

+++LEIA MAIS: 007 de Sean Connery era 'basicamente' um estuprador, diz diretor Cary Fukunaga

"Foi extremamente horrível. Saber o quão pouco eu importava e o quão pouco tudo que eu tinha mostrado significava para eles. Foi degradante, humilhante. Entrei no carro e comecei a chorar," revelou. 


Cary Fukunaga em 007 - Sem Tempo Para Morrer 

007 - Sem Tempo Para Morrer marca o fim da era Daniel Craig no papel de James Bond, além de representar a estreia do diretor Cary Fukunaga na franquia. Contando com o longa-metragem, o cineasta tem seis produções no portfólio - todas extremamente elogiadas pela crítica.