Vacina contra covid: França suspende 3 mil funcionários de hospitais que recusaram tomar vacina

Os funcionários de hospitais da França foram notificados sobre o prazo para serem parcial ou totalmente vacinados

Redação Publicado em 16/09/2021, às 16h53

None
Vacina contra covid-19 (Foto: Justin Tallis - Pool / Getty Images)

3 mil funcionários de hospitais da França foram suspensos sem pagamento por recusarem a vacina contra a covid-19. De acordo com Olivier Véran, ministro da saúde da França, os indivíduos já haviam sido notificados sobre a obrigatoriedade e prazo para serem parcial ou totalmente vacinados: 15 de setembro. 

Ao invés de receberem a vacina, dezenas de trabalhadores optaram por pedir demissão. Contudo, “a continuidade da saúde está garantida” devido ao grande número de profissionais hospitalares, afirmou Véran

+++ LEIA MAIS: Governo britânico critica Nicki Minaj por falas sobre vacinas contra Covid-19

Em entrevista à rádio RTL, Véran ainda acrescentou: “Um grande número dessas suspensões será temporário. Muitos deles decidiram se vacinar agora que a obrigação de fazê-lo se tornou uma realidade.” 

Mesmo que alguns se neguem a ser vacinados, a maioria da população já está imunizada. Segundo informações do The Guardian, menos de 12% dos trabalhadores hospitalares não foram vacinados. Quando observamos os médicos privados, a porcentagem cai ainda mais:  apenas 6%. 

+++ LEIA MAIS: Jeff Bridges passou 5 semanas internado após diagnóstico de covid-19: 'Me deu uma surra boa'

“A situação melhorou consideravelmente graças à vacinação massiva da população francesa, graças às medidas de contenção, à vigilância das pessoas... Nove em cada 10 pessoas na França elegíveis para serem vacinadas foram vacinadas. Somos hoje um dos países mais vacinados do mundo... Quanto mais vacinarmos, melhores chances teremos de sair dessa,” finalizou o ministro.