“Ainda me sinto como aquele moleque de 1965”, diz Ronnie Wood