Caetano Veloso tenta navegar (sem celular) em um mundo com menos CDs e mais panelaços