E se Kill Bill e Laranja Mecânica fossem livros infantis?