“Faça moda, não faça guerra”: Chanel transforma desfile em "protesto"