Às portas de completar 30 anos de carreira, Supla não é um personagem – e tem uma vida real de quem ainda precisa correr atrás