Adnet e Powell revivem os timbres do afrossamba
NELSON FARIA/DIVULGAÇÃO

RS OUVIU

Guias / CDs - Redação Publicado em 06/08/2009, às 11h18 - Atualizado às 11h18

Os afrossambas podem ser definidos como uma junção de bossa nova com motivos afro-brasileiros. O violonista Baden Powell e Vinicius de Morais foram responsáveis por sua criação em meados dos anos 60. O estilo é revisitado emb<> Afro Samba Jazz (Natura Music), em que Phillippe Baden Powell (filho mais velho do músico) e o violonista e arranjador Mario Adnet revisitam alguns temas clássicos e ainda oferecem canções novas, mas com um DNA sonoro similar ao material que foi criado décadas atrás.

O segundo disco de Diogo Nogueira, chamado Tô Fazendo a Minha Parte (EMI), traz canções inéditas criadas por nomes como Arlindo Cruz e Almir Guineto. Chico Buarque e Ivan Lins escreveram a balançada “Sou Eu”. O trabalho está sendo puxado por “Malandro É Malandro e Mané É Mané”, aquela do Bezerra da Silva.

Veterano do rock nacional dos anos 80, Ritchie volta à carga com Outra Vez – Ao Vivo em Estúdio. O inglês radicado no Brasil revisita os velhos hits, mas mudou um pouco os arranjos. Então, prepare-se para encontrar aqui “Menina Veneno”, “Casanova” e outras.

Claudio Zoli comemora seus 25 anos de carreira com Diamante – Ao Vivo (Universal). O cantor já abre com “Noite de Prazer”, grande hit da época em que ele fazia parte do grupo Brilho. “Meu Sonho” e “Livre pra Viver” também estão presentes.

Últimos Guias CDs