<b>PAIXÃO VERMELHA</b> Nina divide seu trabalho entre canções quentes e outras mais melancólicas
Divulgação

Cores Distintas

Guias / CDs - Redação Publicado em 07/07/2010, às 09h22 - Atualizado às 09h26

Nina Becker

Azul / Vermelho

Independente

Depois de longa espera, vocalista da Orquestra Imperial lança registros solo bem diferenciados

Os que esperavam uma sequência do trabalho realizado na Orquestra Imperial ficarão surpresos com o primeiro ou com os primeiros discos solo de Nina Becker. Os CDs são calmos e melodiosos – Nina não teve pressa em entregar produtos bem-acabados. Com produção da cantora em parceria com Mauricio Tagliari e Carlos Eduardo Miranda, os discos Vermelho e Azul, que soam quente e frio respectivamente, são delicados como a voz dela. Com os integrantes da banda carioca Do Amor, Nina chega a um registro maduro, com toques de psicodelia, sutileza e muito bom gosto. Para sentir a diferença entre os dois CDs, basta ouvir a música “Janela”, de Nina em parceria com Domenico Lancellotti, registrada nos dois álbuns com propostas distintas. No Vermelho, ela tem guitarra marcante e alguns efeitos; já no Azul adquire um tom mais melancólico e com belo arranjo de metais. No Vermelho, destaques para as versões de “Toc Toc”, de Rubinho Jacobina, e de “Lágrimas Negras” (gravada pelo Otto com Julieta Venegas), de Jorge Mautner e Nelson Jacobina. No Azul, a canção “Pedido”, assinada pela cantora, e “Lá e Cá”, dos amigos Moreno Veloso, Quito Ribeiro e Bartolo, mostram belos versos e outra faceta da talentosa cantora, afinal não é só de Carnaval que se vive.

Pedro Henrique Araújo

Últimos Guias CDs