Divulgação

Hole

Guias / CDs - Redação Publicado em 06/05/2010, às 04h57 - Atualizado às 13h06

Hole

Nobody’s Daughter

Universal

Courtney Love erra na suavidade, mas mantém o talento na escrita

Nesta nova encarnação do Hole, Courtney Love – agora tendo como braço direito o guitarrista/ produtor Micko Larkin – busca a mesma embalagem de Celebrity Skin, com mais violões que guitarras, mais melodia que gritos e, infelizmente, mais monotonia que surpresas. Aos 45 anos, era de se esperar que a viúva de Kurt Cobain deixasse de lado a potência gutural do subestimado Live Through This. Mas a produção excessiva – os toques orquestrais, os pianos, a suavidade nas cordas – não parece ser a melhor escolha para a ex-boneca do grunge. “Skinny Little Bitch”, a melhor do disco, é a prova de que a distorção, aqui, é amiga da perfeição; “Letter to God” é anti-Hole, com uma anti-Courtney fazendo um balanço de sua desregrada vida; “Pacific Coast Highway” é uma cópia desnecessária de “Boys on the Radio” – por sua vez, uma releitura de “Sugar Coma”, gravada no MTV Unplugged da banda. Sua capacidade como compositora continua intocada, e ao vivo ela mantém a postura “bagaceira” que faz parte de seu charme. Agora só falta Courtney entender que, ao menos em sua música, a sujeira é mais que bem-vinda – é indispensável.

Bruna Veloso

Últimos Guias CDs