SOM PARA VAMPIRO: O Death Cab for Cutie está em Lua Nova

Trilhas Enxutas

Guias / CDs - Redação Publicado em 08/12/2009, às 18h42 - Atualizado às 18h43

Poucos cineastas ainda lembram que a trilha sonora é parte essencial de um filme. Mesmo quando ela não passa de uma seleção pop. Mas o bom gosto de vez em quando aparece nas coletâneas. E não poderia ser diferente em (500) Dias com Ela,/i>, longa dirigido por um cara da música (Marc Webb, de clipes do Weezer e do My Chemical Romance) e sobre um fanático por britpop que se apaixona pela garota errada. A escolha das canções está diretamente ligada à obra original, com destaque para o cover do duo She & Him para “Please, Please, Please, Let Me Get What I Want”, do Smiths, e “Sweet Disposition”, dos australianos do The Temper Trap, um encontro de U2 e Bloc Party. Já a trilha de Lua Nova teria todas as razões para ser apenas um subproduto vagabundo de um fenômeno que vende de tudo. É de se admirar o esforço da produção, que conseguiu ótimas novas músicas do Death Cab for Cutie (“Meet Me on the Equinox”), The Killers (“A White Demon Love Song”) e de Thom Yorke (“Hearing Damage”). Fanática por bandas indie, a autora da saga, Stephenie Meyer, deve estar satisfeita com a coletânea, ainda mais com o remix (nada radical) de “I Belong to You”, do Muse, sua banda preferida. A fábula nazista de Quentin Tarantino, Bastardos Inglórios, não tem nada inédito, mas é exatamente essa a intenção do cineasta: misturar ingredientes antigos e poucos conhecidos e transformar em algo novo. Ele joga de maneira inesquecível Ennio Morricone em três momentos, resgata o tema de O Dólar Furado (1965) e cada pincelada tem uma razão, antropológica ou não, para existir naquele instante do disco.

RODRIGO SALEM

Últimos Guias CDs