Zé Ramalho mostra sua afinidade com o bardo americano.
Divulgação

Zé Ramalho - Zé Ramalho Canta Bob Dylan - Tá Tudo Mudando

Guias / CDs - Redação Publicado em 07/01/2009, às 18h41 - Atualizado em 09/02/2009, às 14h21

Zé Ramalho

Zé Ramalho Canta Bob Dylan – Tá Tudo Mudando

EMI

De Zé para Bob

Apesar das letras, música se cruza nos universos da cantoria de Zé Ramalho e Bob Dylan

Quem conhece a carreira de Dylan entrará no clima desta embolada preparada por Zé Ramalho, já a partir da capa. Ele posa com cartazes, em que se lê "Tá tudo mudando" (como no clipe de "Subterranean Homesick Blues", de 1965). As aproximações entre os dois, com realidades tão diferentes, é de se notar. Bob construiu sua carreira a partir do folk de Woody Guthrie. Zé Ramalho cresceu ouvindo o cordel da Paraíba, aglutinou as influências dos cantadores – em que a palavra tem importância singular – e criou uma obra original. Outra aproximação se dá no canto falado. As criações de Ramalho não apresentam harmonias complicadas, existe, sim, a busca por uma linha melódica que seja agradável. O importante é o que se tem a dizer. Também assim é Bob na essência. O uso de instrumentos como a viola de 12 cordas e a sanfona, ao lado de slide guitar, baixo, percussão, teclados e coro – que pontua em certos momentos –, dá a estas 11 versões ("If Not for You" é cantada no idioma original) do repertório clássico de Dylan, de 1962 a 1999, algo de autoral e cola as letras (nem sempre com acerto) a nossa realidade. Mas aproximar Jackson do Pandeiro a "Mr. Tambourine Man" foi um achado. "Wigwan" (1970), instrumental e vocal, abre o disco e dá o tom do que se vai ouvir. Zé Ramalho emenda oferecendo o trabalho ao seu homenageado em "Para Dylan". O projeto também está saindo em DVD, com Zé apresentando as canções nos Estúdios de Pólo e Cine (RJ).

Antonio Rocha Amaral

Últimos Guias CDs