Amor É Tudo Aquilo Que Nós Dissemos Que Não Era

Charles Bukowski

Guias / Livros - Maurício Duarte Publicado em 14/02/2013, às 13h18 - Atualizado às 13h20

Coletânea bilíngue prova que o velho Buk era afiado também na poesia

Charles Bukowski é um daqueles autores cujo mito pessoal caminha lado a lado com a obra e que já alcançou o status de valor inquestionável. Muito mais conhecido no Brasil por sua prosa, ele também se dedicou à poesia, em quantidade e qualidade. Autor prolífico, escreveu mais de 30 livros de poemas. A coletânea bilíngue organizada e traduzida por Fernando Koproski realizou a proeza de pinçar neste inesgotável mar de versos uma parte bastante substancial de sua obra, dividida por temas. Para Bukowski, tudo pode se tornar poesia: desde olhar a bunda de uma garota na escada rolante até o próprio ofício de escrever. A explosiva verve da prosa, que catapultou o velho Buk ao estrelato mundial, está presente em sua poesia. Os poemas são bastante narrativos no sentido de contarem histórias mais do que de usarem o recurso imagético tão comum aos poetas. Seus poemas têm personagens e enredos. É justamente dessa originalidade que surge o encanto. Afinal, quem mais além desse velho louco podia falar coisas escatológicas de forma tão bela?

Fonte: 7Letras

Últimos Guias Livros