Ao Vivo no Village Vanguard
Max Gordon

Ao Vivo no Village Vanguard

Guias / Livros - Redação Publicado em 11/10/2007, às 17h32 - Atualizado em 12/10/2007, às 15h07

Imagine se Sal Paradise, alter ego de Jack Kerouac em Pé na Estrada (L&PM), tivesse desistido de viajar e atravessar os Estados Unidos, emprestasse dinheiro da tia e transformasse um porão no Village em Nova York na meca do jazz. Pois esse é o ritmo de Ao Vivo no Village Vanguard, a história real de Max Gordon à frente da casa. A estrada aqui é musical, pavimentada com acordes e performances que imortalizaram a história do clube e cheia de casos pitorescos como Thelonious Monk na cozinha e Charles Mingus, que levava sua própria carne e um machado. Durante a depressão dos anos 30, Max emprestou dinheiro de dois irmãos italianos. "No dia 26 de fevereiro de 1934, às nove da noite, liguei o rádio para que os primeiros a chegar fossem recebidos com música", conta Max. Nomes como Miles Davis, Woody Allen e Sonny Rollins são alguns dos personagens que você vai encontrar nas 232 páginas deste livro excepcional, tão caprichado quanto os mais de 100 discos ao vivo gravados no Vanguard.

Por Márcio Cruz

Literatura Nacional

Max Gordon

01

12

2006

Últimos Guias Livros