Entre Rinhas de Cachorros e Porcos Abatidos, de Ana Paula Maia

Entre Rinhas de Cachorros e Porcos Abatidos

Guias / Livros - Redação Publicado em 06/08/2009, às 14h08 - Atualizado às 14h08

Ana Paula Maia

Record

Terceiro livro da escritora fluminense investe no clima maldito

A literatura de Ana Paula fede. Sim, isso é um elogio. Há uma cena clássica em A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós, em que o fidalgo Jacinto impressiona o amigo José Fernandes com as elaboradas instalações de seu apartamento em Paris – até que o peixe assado da ceia fica preso em um elevador que liga a cozinha à sala de jantar, e os convidados tentam pescá-lo no tubo... Essa chacota com a civilização que, ao mesmo tempo que se afasta da natureza, é assombrada por ela, é levada às últimas consequências por Ana Paula. Aqui não há fidalgos, mas o lumpesinato suburbano mais atroz, a chama do espírito se apagando em seres brutais, que já não conseguem se mover sem destruir algo à sua volta. A cidade que sufoca durante a greve de lixeiros, as fossas entupidas por restos humanos, os abatedores de porcos e as rinhas de cachorros que aparecem nas duas histórias do livro (originalmente publicadas como folhetins eletrônicos em 2006 e 2007) são uma descrição necessária do estado psíquico do Brasil e da humanidade. Ana Paula encontra, em meio às manobras mais repulsivas, o tom mítico de uma maldição bíblica, disfarçada nos popismos de superfície.

POR ALEX ANTUNES

Últimos Guias Livros