CRIAÇÃO PLURAL - De Jô Soares a pornochanchada, Ziraldo fazia um pouco de tudo
DIVULGAÇÃO

Ziraldo em Cartaz

Guias / Livros - Redação Publicado em 07/10/2009, às 16h28 - Atualizado às 16h28

Ricardo Leite

Editora Senac Rio

Arte Sortida

Livro desvenda faceta pouco divulgada do cartunista

Para muitos, o nome de Ziraldo está ligado ao seu personagem mais célebre, o folclórico Pererê e aos anos em que esteve ligado ao jornal O Pasquim. Mas a carreira do artista mineiro tem uma faceta importante que nem sempre é lembrada ou reconhecida: a criação de cartazes e peças promocionais. Em Ziraldo em Cartaz, o design Ricardo Leite compila e comenta os cartazes que Ziraldo produziu nos últimos 50 anos sobre temas variados. São ilustrações que versam sobre política, cinema, teatro, festivais de música, campanhas institucionais e educativas e muito mais. O que mais surpreende é que muitos deles não são obscuridades. Alguns desses trabalhos são lembrados até hoje, mas pouca gente sabe que foram criação de Ziraldo. Ele fazia tudo na raça e brinca que hoje em dia, devido aos vastos recursos de computador, “Todo mundo é artista”. O mais importante é que a apreciação da obra de Ziraldo permite uma avaliação das mudanças culturais e políticas que aconteceram no Brasil nos últimos 50 anos. Começando com o otimismo da era de Juscelino Kubitschek, passando pelos difíceis anos da ditadura e chegando aos tempos da abertura política, o olhar bem-humorado de Ziraldo captou tudo. A versatilidade falava mais alto para o Ziraldo cartazista. Ele criou pôsteres para shows de celebridades como Chico Anísio e Jô Soares, mas também foi responsável pelas deliciosas ilustrações de várias pornochanchadas que adornavam as portas dos cinemas dos anos 70.

POR PAULO CAVALCANTI

Últimos Guias Livros