Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Música / Polêmica

A forte opinião de Billie Joe Armstrong sobre pânico moral em torno de transexuais

Vocalista e guitarrista do Green Day discute questões ligadas à sexualidade em suas letras desde os primórdios da banda

Billie Joe Armstrong (Foto: Getty Images)
Billie Joe Armstrong (Foto: Getty Images)

O debate público em torno da comunidade trans teve um avanço notório nos últimos anos. Ainda assim, não é o suficiente para evitar preconceitos. E Billie Joe Armstrong está atento a isso.

O vocalista e guitarrista do Green Dayentende que há um pânico moral em relação às questões trans. Em sua visão, as pessoas que têm esse tipo de reação são “mente fechada pra car#lho”.

O assunto foi abordado por Armstrong em entrevista ao Los Angeles Times. O motivo é uma das músicas do novo álbum do Green Day, Saviors. Intitulada “Bobby Sox”, a faixa acabou trazendo, ainda que sem intenção inicial, uma reflexão descompromissada sobre relações LGBTQIAPN+ — a exemplo do trecho “Você não é qualquer tipo de garota; Meu único amor verdadeiro, e você é meu mundo; Você quer ser minha namorada? Você quer ser meu namorado?”, com inversão de gênero sob a mesma voz.

+++ LEIA MAIS: Billie Joe Armstrong, do Green Day, analisa volta do emo - e faz piada com My Chemical Romance

Durante o bate-papo com o veículo de comunicação, Billie Joe contou que a mudança de gênero na letra tinha apenas o objetivo inicial de cantar sob o ponto de vista de uma mulher. Contudo, ele — que é casado com uma mulher há décadas, mas define-se como bissexual — sentiu-se muito livre ao poder cantar um verso como esse.

O músico, então, decidiu apresentar a canção para um amigo de mesma idade — e ficou surpreso com a reação.

“Ele ficou com lágrimas nos olhos quando ouviu aquele trecho. Hoje em dia é mais comum que as crianças sejam LGBTQIAPN+, há mais apoio. Mas para nós, antigamente (entre os anos 1980 e 1990), era o início de quando as pessoas eram capazes de dizer abertamente coisas assim.”

Pânico moral

Armstrong, então, fez a referida declaração sobre o que considera ser um “pânico moral” em torno dos jovens transgêneros. O músico afirmou:

“Só acho que essas pessoas (com pânico) têm a mente fechada. É como se as pessoas tivessem medo dos filhos. Por que você teria medo? Por que você não deixa seu filho ser apenas quem ele é?”

Vale destacar que Billie Joe discute tais temáticas desde os primórdios do Green Day. Em entrevista de 2014 à Rolling Stone EUA (via site Igor Miranda), o artista comentou que Dookie (1994), álbum que fez sua banda despontar para o estrelato, traz muitas letras sobre sua orientação sexual. O comentário foi feito após ele relembrar um dos versos do hit “Basket Case” onde diz que irá procurar por um prostituto.

“Eu queria desafiar a mim e quem fosse o ouvinte. Também estava olhando para o mundo e falando: ‘não é tão preto e branco quanto você pensa, não é o profissional do sexo que seu avô conhecia – ou talvez seja’. Esse disco aborda muito bissexualidade.”

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!