Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Música / Polêmica

Cher teria contratado homens para sequestrar o próprio filho, diz ex-nora

Reclamação é levantada em documentos apresentados pela ex-esposa de Elijah Blue, filho caçula de Cher, para o divórcio

Redação Publicado em 27/09/2023, às 15h55

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Cher com filho caçula Elijah Blue Allman em 1980 (Foto: Getty Images)
Cher com filho caçula Elijah Blue Allman em 1980 (Foto: Getty Images)

Cher foi acusada de contratar quatro homens para sequestrar seu filho mais novo, Elijah Blue Allman. A cantora teria supostamente tirado Elijah de um hotel em Nova York em novembro de 2022 enquanto tinha uma conversa com Marieangela King, para tentar reatar o casamento, conforme apurado pelo New York Post.

+++ LEIA MAIS: Cher desfila de surpresa em passarela da Balman em Paris; confira

Elijah e Mariangela se separaram em 2021 e tentavam uma reconciliação. Os dois passaram 12 dias juntos antes dele ser levado pelos homens em 30 de novembro – dia de seu aniversário de casamento. O caso se tornou público após a divulgação de documentos judiciais de um processo da corte superior de Los Angeles. 

"Atualmente não tenho conhecimento do bem-estar ou do paradeiro do meu marido", escreveu King na declaração assinada no Tribunal em 4 de dezembro de 2022 e obtida pelo jornal. "Estou muito preocupada com ele. Um dos quatro homens que o levaram me disse que eles foram contratados pela mãe dele."

+++ LEIA MAIS: Cher anuncia primeiro álbum de Natal da carreira; saiba mais

Funcionários de um hotel onde Elijah morou por seis meses começaram a ligar para Cher com frequência para avisar sobre a aparência preocupante do filho, que voltava a usar drogas e sempre era visto deitado na calçada, às vezes inconsciente.

Cher, segundo a publicação, tentava colocá-lo numa reabilitação. Além disso, a cantora também não aprovava a relação dele com King. Cher e Elijah não se manifestaram sobre o caso.