Cinebiografia de Elvis 'parece filme de super-herói', diz Baz Luhrmann

Estrelado por Austin Butler, Elvis chega aos cinemas no dia 14 de julho de 2022

Redação Publicado em 27/04/2022, às 15h30

None
Austin Butler em Elvis (Foto: Reprodução / Youtube)

Não é difícil encontrar pessoas que consideram Elvis Presley seu herói - e o cineasta Baz Luhrmann (Moulin Rouge: Amor em Vermelho) sabe disso. Para o diretor da cinebiografia homônima de Elvis Presley, o longa-metragem "parece um filme de super-herói". (Via CinePop)

Durante a CinemaCon, Luhrmann deu detalhes sobre a narrativa da produção que chega aos cinemas no dia 14 de julho de 2022. “Eu vejo Elvis como uma espécie de herói, ele é o super-herói original."

+++ LEIA MAIS: Elvis: Austin Butler interpretou Rei do Rock de forma ‘humanizada,’ afirma diretor Baz Luhrmann

Luhrmann continuou: "Ele surgiu do nada e voou tão alto que encontrou sua kryptonita, fazendo-o desabar. Mas também encontrou o amor. Essa é uma bela e poderosa tragédia. Quando assisti a primeira prévia, eu pensei: Sabe de uma coisa? Parece um filme de super-herói’.”

Elvis - O que sabemos sobre o filme?

A cinebiografia acompanha a ascensão de Elvis Presley à fama e o relacionamento complexo do cantor com o empresário, o coronel Tom Parker, quem o descobriu em 1955. O filme conta com Austin Butler no papel do Rei do Rock e Tom Hanks como Parker.

+++ LEIA MAIS: Elvis: Austin Butler recebeu ‘completo apoio’ de Priscilla Presley para interpretar astro; entenda

De acordo com Luhrmann, “você vai ouvir os clássicos. Você verá a história de Elvis e ele será honrado [...] não se trata apenas de um personagem, certo? Se trata de representação histórica sobre a América nos anos 50, 60 e 70, épocas representadas pelo Elvis: O rebelde, Elvis: O ator mais bem pago de Hollywood e Elvis: A lenda viva. O ícone preso naquele hotel a menos de dez minutos daqui, por um homem chamado Coronel Tom Parker…‎ Mas também conseguimos aproximar esse ícone para uma geração mais jovem, é um mix que explora porque sua imagem e sua música permanecem vivas.”