Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Música / ROCK

Como é trabalhar com o Metallica? Greta Van Fleet responde

Jovem banda de hard rock tem feito abertura dos shows dos veteranos thrash, inclusive com passagem pelo Brasil em 2022

Redação Publicado em 14/09/2023, às 12h30

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Metallica (Foto: Getty Images)
Metallica (Foto: Getty Images)

Nos últimos anos, o Greta Van Fleet tem excursionado como atração de abertura do Metallica. Inclusive, eles vieram juntos ao Brasil em 2022 para quatro apresentações, em São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Como tem sido para a jovem banda de hard rock trabalhar com os veteranos do thrash metal? Em entrevista à rádio americana Q104.3 (via Blabbermouth / site Igor Miranda), o baixista e tecladista Sam Kiszka revelou alguns detalhes da parceria.

De início, Sam — que compõe o Greta Van Fleet ao lado dos irmãos Josh (voz) e Jake Kiszka (guitarra) e de Danny Wagner (bateria) — pontuou que foi possível desenvolver “um ótimo relacionamento” com o Metallica. A troca é justamente no sentido de aprendizado.

“Aprendemos muito com o que eles fazem, enchendo estádios… É uma banda com muita consistência e muita paixão pelo que faz, levam muito a sério.”
Outro ponto reforçado pelo baixista é a experiência de James Hetfield (voz e guitarra), Kirk Hammett (guitarra), Lars Ulrich (bateria) e Robert Trujillo (baixo). Os três primeiros, que fazem parte do grupo thrash desde os primórdios — ainda que Dave Mustaine tenha ocupado a vaga de Hammett nos meses iniciais —, lotam estádios por todo o planeta desde antes de qualquer músico do Greta ter nascido.
“É muito fascinante ver este grupo de pessoas que dedicou toda a vida a fazer o que fazem muito bem.”

Lars Ulrich curte Danny Wagner

Ainda durante a entrevista, Sam Kiszka surpreendeu ao revelar um detalhe sobre Lars Ulrich. O baterista do Metallica disse curtir bastante o trabalho de seu colega de instrumento do Greta Van Fleet,Danny Wagner.

“Lars nos disse que realmente gosta de ouvir o solo de Daniel quando está recebendo sua massagem para relaxar antes do show. Logo a seguir, ele vai para sua sala de prática e meio que improvisa um pouco.”

Disciplina do Metallica

Um dos grandes aprendizados extraídos do Greta Van Fleet com relação à longevidade do Metallica tem a ver com um aspecto nem sempre pensado, mas muito importante: a alimentação. Os veteranos do thrash metal são bastante cuidadosos nesse sentido, o que acendeu um sinal de alerta para os colegas mais jovens.

“Eles são muito sérios no que diz respeito a dieta. Comem a mesma coisa todos os dias, são focados nisso. É algo que queremos fazer quando tivermos essa idade. Acho que é um ótimo padrão para definir.”

A turnê M72

O Greta Van Fleet chegou a ser escalado para abrir alguns shows da atual turnê do Metallica, “M72”, que percorrerá o mundo até 2024. A excursão tem como proposta oferecer dois shows em cada cidade visitada pela banda, com 72 horas de diferença — daí o número presente no nome da tour.

+++ LEIA MAIS: A inovadora proposta de turnê do Metallica para 2023 e 2024

Para incentivar a compra de ingressos para ambas as noites, a promessa é de uma experiência bem diferente, já que os músicos mudam o repertório e até mesmo as atrações de abertura. Para se ter ideia: nas primeiras datas anunciadas na Europa, a posição de banda introdutória será revezada entre Architects, Mammoth WVH, Five Finger Death Punch e Ice Nine Kills. Já na América do Norte, o Architects dá lugar à celebração do Pantera com os convidados Zakk Wylde (guitarra) e Charlie Benante (bateria).

Ciente de que seu público está se renovando, especialmente após a presença da música “Master of Puppets” na trilha sonora da série “Stranger Things”, o grupo resolveu incentivar tal movimento. Para os shows da M72, haverá lotes de ingressos com desconto para fãs menores de 16 anos. Afinal de contas, é por intermédio da garotada que o heavy metal continuará vivo.

Parte dos lucros de cada entrada vendida no geral será destinada à ONG All Within My Hands, mantida pela própria banda. A instituição combate a insegurança alimentar e presta auxílio em áreas de desastres naturais. Durante a recente passagem dos músicos pelo Brasil, em abril de 2022, eles destinaram um valor não revelado ao Complexo de Saúde Pequeno Cotolengo, que auxilia pessoas com deficiências múltiplas em Curitiba.

As datas anunciadas pelo Metallica até o momento vão até setembro de 2024, no México. A expectativa é que, depois disso, a banda retorne à América do Sul.