Jay-Z quer proibir uso de letras de rap para incriminar artistas; entenda

Carta enviada aos legisladores de Nova York por Jay-Z e outros músicos pede fim do uso de letras em julgamentos

Dimitrius Vlahos (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 20/01/2022, às 08h59

None
Jay-Z (Foto: Getty Images)

Jay-Z lidera ação para proibir uso de letras de rap para incriminar artistas em tribunais em Nova York, Estados Unidos. Meek Mill, Big Sean, Fat Joe, Kelly Rowland, Yo Gotti, Killer Mike e Robin Thicke se juntaram ao rapper em carta enviada aos legisladores para tornar a proibição uma lei estadual.

A proposta chamada "Rap Music on Trial" (Músicas de Rap no Julgamento, em tradução livre) passou pela comissão de ética do senado na última terça, 18. "Isso é importante para Jay-Z há bastante tempo. Ele é de Nova York, e pode ter certeza, é o que ele quer fazer," afirmou AlexSpiro, advogado de Jay-Z, à Rolling Stone EUA.

+++ LEIA MAIS: Cardi B revela pensamentos suicidas após notícias falsas sobre ela; entenda

Para o representante do rapper, a mudança da lei em Nova York pode contribuir para reformas maiores, envolvendo outros estados ou até o país. "Ao mudar a lei aqui, isso será bom para os casos, mas também enviaremos a mensagem do progresso. Esperamos que diversos lugares sigam isso."

O caso do músico Drakeo the Ruler é um dos motivos da ação. Apesar de absolvido por assassinato de um homem em festa, Drakeo passou três anos preso. Segundo a acusação, os conflitos entre ele e o rapper RJ teriam levado ao tiro fatal. Utilizaram a letra da música “Flex Freestyle” para provar o uso de armas e a tentativa de homicídio, porém, RJ não estava na festa, tornando a acusação infundada.

+++ LEIA MAIS: Drake: Modelo quer processar rapper por colocar pimenta em preservativo; entenda

"Não sabia que podiam fazer isso," Drakeo afirmou à Rolling Stone EUA em novembro - um mês antes de ser assassinado nos bastidores do festival Once Upon a Time in LA. "Como usaram isso contra mim? Não faz sentido."

Trecho da carta dos representantes legais de Jay-Z afirma: "Essa reforma é urgente. Em vez de entenderem o rap como forma de expressão artística, os procuradores e a polícia argumentam que as letras devem ser interpretadas literalmente, como 'diários autobiográficos' - mesmo com a longa tradição de histórias, linguagem figurada e hipérbole do gênero. O rap usa os mesmos recursos poéticos encontrados nos trabalhos tradicionais de poesia."