Lollapalooza 2022: Ignorando TSE, Djonga se apresenta com protestos contra Bolsonaro

Rapper Djonga apresentou sucessos em meio a críticas contra o presidente Jair Bolsonaro

Redação Publicado em 27/03/2022, às 19h23

None
Djonga (Foto: Daniel Assis / Divulgação)

Nem mesmo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parou Djonga. Rapper se apresentou no terceiro dia de Lollapalooza e descumpriu a ordem de que artistas não poderiam se manifestar politicamente durante apresentações. 

“Bolsonaro vai tomar no c*,” gritou junto à plateia, afirmando que falaria isso 13 vezes durante o show. “Eu odeio o Bolsonaro,” completou. 

+++ LEIA MAIS: Lollapalooza 2022: TSE proíbe manifestações eleitorais de artistas nos shows

Em 2019, Djonga estava na plateia no show de BK e, agora, sobe ao palco para cantar faixas dos discos Ladrão(2019), Histórias da Minha Área (2020) e Nu (2021). Além disso, FBC fez uma participação especial na apresentação.

TSE proíbe manifestações eleitorais de artistas nos shows

Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Raul Araújo determinou que o Lollapalooza 2022 proíba as manifestações eleitorais dos artistas que se apresentam no festival neste domingo, 27. (via G1) 

+++ LEIA MAIS: Lollapalooza 2022: Emicida faz show comovente com homenagem a Taylor Hawkins, celebração da vida e mais

O pedido acontece após protestos de artistas como Pabllo Vittar, Marina e Clarice Falcão contra o presidente Jair Bolsonaro. A decisão do ministro é monocrática (individual) e acolhe o pedido do PL, partido de Bolsonaro. A multa caso o evento não cumpra a ordem é de R$ 50 mil.