Lollapalooza 2022: TSE proíbe manifestações eleitorais de artistas nos shows

Caso Lollapalooza descumpra a ordem, a multa é de R$ 50 mil

Redação Publicado em 27/03/2022, às 16h01

None
Lollapalooza 2018 (Foto: T4F / IHF / Aragão)

Ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Raul Araújo determinou que o Lollapalooza Brasil 2022 proíba as manifestações eleitorais dos artistas que se apresentam no festival neste domingo, 27 (via G1). 

O pedido acontece após protestos de artistas como Pabllo Vittar, Marina e Clarice Falcão contra o presidente Jair Bolsonaro. A decisão do ministro é monocrática (individual) e acolhe o pedido do PL, partido de Bolsonaro. A multa caso o evento não cumpra a ordem é de R$ 50 mil. 

+++ LEIA MAIS: Lollapalooza 2022: Marina transforma palco em balada pop e protesta contra Putin e Bolsonaro

“Defiro parcialmente o pedido de tutela antecipada formulada na exordial da representação, no sentido de prestigiar a proibição legal, vedando a realização ou manifestação de propaganda eleitoral ostensiva e extemporânea em favor de qualquer candidato ou partido político por parte dos músicos e grupos musicais que se apresentem no festival,” escreveu o ministro.

Lollapalooza Brasil 2022

O Lollapalooza Brasil acontece nos dias 25, 26 e 27 de março de 2022, no Autódromo de Interlagos. Além de Cyrus, The Strokes, A$AP Rocky, Doja Cat, Martin Garrix, Machine Gun Kelly e muito mais estão entre as atrações do evento. Confira tudo que você precisa saber sobre o Lollapalooza 2022aqui.

+++ LEIA MAIS: Lollapalooza 2022: Miley Cyrus convida Anitta para feat de ‘Boys Don’t Cry’

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Lollapalooza Brasil (@lollapaloozabr)